Livro Peter Pan de J.M Barrie (não o desenho da disney!)

Recentemente terminei de ler o livro Peter Pan, o qual foi base para o famoso desenho da Disney. O motivo que me fez correr atrás desse livro, publicado em 1911, não foi o desenho (que eu nunca assisti, mas pretendo), foi o lançamento do livro Peter Pan Escarlate. Pra quem não sabe, Barrie pouco antes de morrer deixou os direitos autorais relacionados a sua obra para um hospital infantil. Esse mesmo hospital lançou um concurso no qual o escritor que criasse a melhor continuação teria o livro públicado como a continuação oficial de Peter Pan.

A vencedora foi a inglesa Geraldine McCaughrean, autora de um monte de livros infantis. Seu livro chama-se Peter Pan Escarlate. Como uma amiga minha comprou esse livro, achei interessante ler a obra original de Barrie pra depois pegar o Escarlate emprestado e ver se era bom.

Como sou uma namorada legal, ganhei ele como presente de Natal do meu namorado. Mas só mês passado comecei a ler. Por ser um clássico, esperava um livro infantil num nível Potteriano, mas infelizmente não foi o caso. Em Peter Pan, o autor se dirige frequentemente ao leitor, com diversas observações e ironias, lembrando um pouco o que faz Douglas Adams na série O guia do mochileiro das galáxias ou Lemony Snicket em Desventuras em série. Mas fora esses diálogos com o leitor, são poucas as vezes que o livro empolga. E nessas poucas vezes é por causa do engraçado mau-humor da fada Sininho. O grande mérito do livro é realmente, a captura das diferenças entre ser adulto e criança.

Aqui mais sobre os livros. E aqui um resumo dele.

Anúncios

24 comentários sobre “Livro Peter Pan de J.M Barrie (não o desenho da disney!)

  1. Dizer que o livro peter pan e wendy de 1911 não empolga éo mesmo que dizer que ñ tem nenhum encanto, e isso é uma afirmação absolutamente descabida de quem ñ entendeu a obra de Barrie pois ñ tem sensibilidade para isso.Antes de ler este livro peter pan era para mim apenas um simpático classico da disney, mas além de ser originalmente uma peça de teatro, seu autor também o trasnformou numa narrativa que sem dúvida é o melhor da literatura infanto juvenil, e talvez da literatura em geral. J.M.Barrie tinha uma sensibilidade única, e soube combinar com uma perfeição surpreendente, a fantasia e a realidade. Certa vez vi escrito em algum lugar (ñ lembro aonde) que quem inventou a “frase ler é viajar deveria estar pensando em “O mágico de oz” O magico de oz é um bom livro, mas digo o contrário , quem inventou a frase “ler é viajar” deveria estar pensando no livro “Peter pan e Wendy”. O livro têm uma atmosfera de sonhos e coisas que parecem surreais na história é tratada com naturalidade que o leitor começa a achar normal também. Pela primeira vez a frase “ler è viajar” fez um sentido completo para mim . Fiquei impressionada e atordoada com tanta criatividade de um homen chamado de James Barrie”

  2. eu tbm não acabei de ler o livro mas to na metade e u não to gostando ele tem muitos detalhes q não precisavam ter eu acho q se tirassem os detalhes o livro teria a metade do tamanho q tem !!

  3. Leia a biografia de Barrie, talvez isso a ajude a entender alguns aspectos da história. Peter Pan foi baseado nele mesmo, por isso é tão complexo.. ele é na verdade the boy who wouldn’t grow up!

  4. Como é? É preciso muita falta de entendimento para fazer comentários como esses…
    Quando Luiza disse “Ele tem muitos detalhes q não precisavam ter eu acho q se tirassem os detalhes o livro teria a metade do tamanho q tem”, deu-me um ataque de fúria e de tristeza.
    Se tirassem os “muitos detalhes” não seria mais Peter Pan.
    AGORA, quando cita-se “O Senhor dos Anéis”, o povo todo faz questão de dizer que conhece, que leu, e que simplesmente amou.
    E daí eu lanço a questão: E se tirassem os muitos detalhes (milhares) que Tolkien coloca… Como ficaria? O que sobraria?
    O QUE FAZ UM LIVRO SÃO OS DETALHES!

    “Ler é viajar” se encaixa claramente com Barrie. Peter Pan é eternamente a melhor obra para mim.

    Adeus, Não-Leitoras.

  5. Eu realmente concordo com a Larissa. “Não-Leitoras”, pois foi essa a real impressão que me deram. Peter Pan é um clássico, leva-nos a viajar pelo mundo da fantasia, os mistérios entre ser uma criança e um adulto, os complexos da vida e muito mais….É uma obra não apenas infantil, mas juvenil e para adultos também ( com exceção, talvez, ou talvez incluindo principalmente, aqueles que cresceram demais )..E que história é essa de “Muitos detalhes”?? Um livro, se fosse apenas a história, seria como duas bandas de um pão sem o hambúrguer e todos os outros complementos. Seria muito vazia, muito pouco realista, pareceria não um livro, mas um texto pobre e incoerente. Os detalhes são o recheio do livro, o que faz ele ficar alegre e tornar-se não um simples cojunto de palavras, mas um livro bem elaborado e pronto para levar-nos a um mundo completamente diferente…
    Vocês, que estavam reclamando, realmente são leitoras? Se não são, como podem criticar um livro assim? Sem nem conhecer?
    E se são, realmente precisam aprender muuiiito mais sobre escrita. Que tal ler uns livros “sem detalhes”, para ver o quão LEGAL ele deve ser???
    Como a Larissa disse:
    Adeus, não-leitoras

  6. Todas as crianças crescem. Peter Pan não.
    Ele mora na Terra do Nunca e junto com
    a fada Sininho foi visitar seus amigos:
    Wendy, João e Miguel.
    Peter levou-os para conhecer a Terra do Nunca.
    Com a mágica de sininho eles saíram voando. Avistaram o barco pirata, a aldeia dos índios e a morada dos meninos perdidos.
    O Capitão Gancho viu Peter Pan e seus amigos voando e resolver atacá-los.
    Peter Pan salvou Wendy antes que ela caísse no chão.
    Os meninos perdidos moravam dentro de uma árvore oca.
    Wendy contou lindas historias. Ela gostou muito dos meninos.
    Um dia o capitão gancho raptou a princesa doa índios.
    Mas Peter Pan apareceu para libertá-la.
    O Capitão Gancho fugiu e o crocodilo Tic-Tac quase o engoliu.
    Mas ele escapou.
    Mas o Capitão Gancho não desistiu. Desta vez capturou os meninos perdidos.
    Levou-os para o barco pirata, de lá eles seriam jogados no mar.
    Mas Peter Pan veio salvou seus amigos. Lutou com Gancho e o derrubou.
    De volta ao lar, Wendy pediu que Peter Pan ficasse com eles.
    Peter Pan disse não, ele preferiu a Terra do Nunca, assim ele nunca cresceria e poderia brincar com todas as crianças sempre.

  7. Fiquei muito triste com alguns comentários aqui que dizem que o livro de Barrie é muito chato e com detalhes desnecessários, pois isso só comprova o que eu, de coração, queria que não fosse verdade: a nossa geração é pouca profunda, e rejeita tudo aquilo que exige o mínimo de reflexão.
    As comparações feitas pela autora do texto não foram corretas. Como esperar de Peter Pan algo “Potteriano”? a ordem está invertida. Nunca se espera encontrar em um clássico algo posterior a ele. Mas , sim, encontrar no posterior(no caso Harry Potter) algum elemento de um livro clássico. A mesma coisa coisa, acontece com a comparação com “O mochileiro das galáxias”. O narração de Peter Pan não é parecida com a narração do Mochileiro da Galáxias, mas a narração do “Mochileiros da Galáxias” é PARECIDA COM A DO PETER PAN.
    J.M. Barrie é um dos precursores dessa técnica narrativa( que é o que torna o livro tão mágico), muito inovadora na época. Douglas Adams foi só influenciado.
    As pessoas pessoa precisam deixar um pouco de lado Dam Brown, J.K Rowling e esses outros autores da moda e descobrir o que é literatura de verdade.

  8. Sobre quem escreveu o “artigo”: burra.

    Peter Pan é uma das mais emocionantes e diferentes obras do século XX, sendo, em minha opinião, empolgante e emocionante, divertido e triste. Essa narração em que o autor se direciona ao leitor, minha cara, é uma grande característica de nosso “pai” da literatura: Machado de Assis. Mas não, você conseguiu ir até Lemony Snicket… Parabéns, hein, amorzinho?

  9. Aff, claro que peter pan é um história empolgante,tanto quanto o magico de oz ou Lemony Snicket em Desventuras em série.
    São histórias maravilhosas.

  10. Peter Pan é certamente um dos maiores clássicos da liteturatura infanto-juvenil, pois em sua história se passa parte dos sentimentos do próprio autor e ainda envolve mitologia e crenças populares.
    Se procurarem informações e conhecerem mais sobre a vida pessoal do autor saberão analisar com mais sabedoria.O nome Peter, dado ao personagem principal, foi adotado pelo autor, porque o mesmo conhecia uma família chamada Llewellyn-Davies e se apegou muito a um garoto chamado Peter. O fato de Peter Pan nunca crescer se deve à perca do irmão do autor quando criança e a falta que ele fazia à sua mãe que o mantinha em sua mente como uma criança (claro). O nome Pan está relacionado a um deus (grego ou romano) da floresta, por isso Peter era o líder do seu bando e posto como “rei” para os meninos que comandava. Dizer que o livro não é “legal”, isso é uma opinião particular, mas dizer que o livro não tem “magia” própria é o mesmo que dizer que não necessita de ar para viver.

  11. Meu deus, como alguem apode achar chato o Peter Pan, um livrinho digno de encanto?

    Algumas boas passagens:

    – “Wendy sabia que ela deveria crescer. Você sempre sabe, depois dos dois anos de idade. Dois é o começo do fim.”

    – “É claro que a Terra do Nunca varia bastante. A de John tinha uma lagoa com flamingos voando por cima, nos quais John atirava, enquanto Michael, que era muito pequeno, tinha um flamingo com lagoas voando por cima.”

    – “As estrelas são lindas, mas elas não participam ativamente de nada, elas sempre só observam. É uma punição por algo que elas fizeram há tanto atrás que nenhuma estrela lembra mais o que foi.”

    Minha frase preferida é quando o Michael pergunta: “mamãe, como você me conheceu?”

    Então, digo, digno de encantamento, entre crianças e adultos.

  12. Sinceramente, adorei o livro Peter Pan traduzido, porém, me decepcionei com o finalizar do livro… minha imaginação criou tantos finais mais empolgantes que quando li o real desfecho eu literalmente brochei!
    O autor transcreveu parte de sua vida para o livro, e me fez viajar somente citando estórias que poderiam ser contadas como “aventuras dos meninos perdidos”, mas ao final, deixou no ar uma brecha significativa. Não descrever amplamente o sentimento de Pater tornou-o, no meu entendimento leviano, um menino sem memória. A síndrome de Peter pan foi transcrita sem uso de recursos médicos como alguem quenão aceita a verdade, a responsabilidade e os sentimentos em geral. Perdi aquela bendita paixão que adquiri pelo personagem principal após tantos desenhos e filme (em especial “de volta a terra do nunca”).
    Sem falar que um aperto no coração insistiu em me decepcionar ainda mais quanto ao não desfecho de Sininho.
    Enfim, o livro não deixa de ser um classico, mas prefiro dizer que esta obra não é literal, e sim provacativa da imaginação livre.
    Meu amor ao eterno Peter Pan que aprendi a adorar em minha mente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s