A praia, o parque de Imbé, e como Tramandai decaiu

Depois de muitos anos sem ir para Tramandai, eis que esse ano eu volto.

Nós últimos 3 anos estava veraneando sempre em Capão da Canoa (por veraneando entendam passando uma semana durante o verão). Ano passado sequer fui para a praia. A primeira coisa que notei depois desse afastamento é como Tramandai decaiu.

De maior e mais agitada praia do Rio Grande do Sul (não que isso seja grande coisa), também conhecida como a capital das praias, virou uma praia bem mais paradinha. Até Capão da Canoa está melhor (e suponho que Torres e Atlântida estejam melhores ainda). Isso sem contar os crepes. Pra quem não sabe, um dos grandes prazeres de uma saidinha ao centro das praias daqui é comer um crepe, são dezenas de barraquinhas com dezenas de sabores. O crepe aqui de Tramandai não chega aos pés do de Capão. Não sei bem dizer o porque, mas acho que a massa é pior e é bem menos recheado.

Mas esse post serve para comentar de minha ida ao tradicional parque que fica em Imbé, o parque Tupy. Sim, aquele parque que fica perto do supermercado Nacional, e também da ponte de Imbé. Bom, não quero soar cheia ou de nariz empinado, mas pra quem já foi pra Disney ou no Beto Carrero aquele parque é péssimo. Vou reformular minha frase: pra qualquer pessoa em sã consciência, aquele parque é péssimo : P. Mas bem, quando estamos no ócio que só a praia nos proporciona, aceitamos quase tudo, então aceito acompanhar meu irmão, sua namorada e um amigo no parque.


Isso não é Tramandai

O parque estava lotado, o que até me deixou animada, afinal nada mais deprimente do que parque vazio. Na real minha idéia era apenas dar uma olhada no clima do parque, afinal, morro de medo de parques precários. Peças rangindo não me assustavam quando criança, hoje que tenho (um pouco) mais de noção, me petrificam.

Mas bem, ao chegar no parque me deparo com um brinquedo que era uma mistura de crazy dance com samba. O nome dele era Music Express. Simpatizei na hora por 4 motivos:

1. Parecia emocionante.
2. O brinquedo não fazia loops, nem nada que pudesse me levar a morte ou perda dos movimentos em caso de mau funcionamento.
3. Nele estava tocando a música Skater Boy da Avril Lavigne, que é bastante animada.
4. O nome do brinquedo me lembrou a revista inglesa sobre rock indie New Musical Express, mais conhecida por NME.

Fui nele com minha cunhada (o meu irmão e o amigo preferiram ficar enchendo a cara). Nos divertimos bastante. Além disso pude fazer uma das coisas que mais me divertem em parques: gritar escandalosamente durante a atração pra ver a cara de susto das pessoas com medo de ir : P

Após o divertido momento no musical express, convenci todo mundo a ir no castelo do terror. Eu sabia que devia ser podre, mas eu adoro esse tipo de tosqueira. Durante a pequena espera na fila, um homem sai revoltado da atração dizendo que seu carrinho descarrilhou. Achavamos que era brincadeira, mas o cara que cuidava da atração de repente saiu de dentro do castelo com umas peças do carrinho na mão. Logo após, apenas um dos carrinhos estava em funcionamento (eram dois antes). Obviamente, me assusto e desisto da atração, optando por mais uma ida ao music express. Nem a pau que iria no Kamikaze depois de tudo isso : P

A caminho do music express, um momento nerd: de longe vejo um brinquedo que se chamava Twitter. Acho muito engraçado um brinquedo com esse nome, e até penso na possibilidade de ir nele. Estava ainda meio incrédula com o nome (daqui a pouco teremos atrações chamadas orkut), mas eu não tinha bebido, então não podia estar errada. Ao me aproximar, percebo o engano (e a possível necessidade urgente de óculos :P): a atração se chamava twister (AKA chapéu mexicano).

Depois de tudo isso e de uma agradável noite no parque, volto para casa.

Anúncios

4 comentários sobre “A praia, o parque de Imbé, e como Tramandai decaiu

  1. Gente eu adorava o Parque Tupy quando era pequeno, lembro até hoje, adorava ir no Carrossel Safari que tinha um monte de bichinhos, adorava a Bailarina, o Chapéu Mexicano, o Enterprisee o Barco Viking, que saudades, Bons tempos!!!!
    Faz tempo que não vou para Imbé, acho que vou dar uma passada lá para relembrar os bons tempos e andar na Bailarina que acho que é o único parque que tem esse brinquedo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s