Cybercops

Eu era sou fanática por seriados de heróis japoneses. Jaspion, Jiban, Jiraya (nossa, tudo com J), Patrine, Flashman, Black kamen rider, Solbrain, Metalder, em suma, todas esses que passavam (a maior parte deles) na falecida e saudosa rede Manchete.

Vendo um post do Leite de Vaca, sobre os uniformes para jogar tênis do futuro relembrei de Cybercops. Um dos meus top 5 tokusatsu (é como esses seriados de heróis japoneses são denominados, da mesma forma que a palavra anime denomina os desenhos japoneses). Certamente, a melhor abertura de qualquer tokusatsu, tanto pela música como pelas imagens em si. Adoro a ceninha deles caminhando juntos no início : P

Basicamente podemos separar os tokusatus em duas categorias: super sentai e metal hero. Super sentai são aqueles seriados no qual temos em geral 5 integrantes, cada um de uma cor. Exemplos são Flashman, Changeman e os famigerados Power Rangers. A outra categoria, o metal hero, são heróis com roupas metalizadas como Jaspion, Winspector e Jiban.

Cybercops já é diferente por ser difícil de classificar em uma dessas categorias (embora esse site especializado tenha dito que é um henshin hero, o que eu discordo), Você pode dizer que é sentai porque cada armadura tem uma cor, mas ao mesmo tempo pode dizer que é metal hero porque as armaduras estão muito mais pra um Jaspion do que pra um Changeman.


Um cosplay quase perfeito no Animesul

Na época que eu assistia, meu favorito era o Júpiter (por ser o principal). Hoje em dia, prefiro o Marte, por ser o mais bonitinho (por sinal, como os outros eram feios) e mais revoltado por assim dizer, e também a Tomoko, porque mesmo fraquinha, sem ter armadura e tal, era a mais inteligente, divertida e animada. Além disso, uma das personagens mais bonitas de todos os tokusatsus (fãs de japonesinhas peladas e sem roupa – venham paraquedistas do Google – devem ter sonhos com ela até hoje). E ainda por cima, ela era quem manipulava o computador na parte da transformação deles, e todos sabem que garotas que trabalham com computadores são sempre as mais interessantes : P

Notem que a transformação deles só podia ser feita nessas cabines, o que dava um ar de realidade maior (não era que nem Jiraya, em que ele guardava a armadura não sei aonde)

O que eu gosto nesse seriado é que além das armaduras serem muito legais (inclusive a dos vilões), existem vários elementos diferentes dos seriados desse tipo. Exemplos: os heróis tem uma bandinha de rock (eles tocam nas horas vagas e a Tomoko é a vocalista), existem problemas como inveja (no relacionamento entre Cyber Júpiter e Cyber Marte), rivalidades (entre Júpiter e Lucifer … sim, naquele tempo os anti-hérois podiam ainda ter nomes de demônio sem a dublagem alterar : p) um leve romance (entre Takeda e Tomoko), tem os cybercards (por sinal eu tenho um que comprei no animecon!!!), tem aqueles tubos sensacionais por toda a Tóquio que trazem armas para os hérois, e essas mesmas armas conectavam na armadura de forma muito legal, etc.

Abaixo, o encerramento do seriado, com a Tomoko (Mika Chiba) cantando a música Shooting star (com aquele inglês de japonês ótimo na parte “I want to be a shooting star”).

Além disso, existem episódios antológicos, como aquele em que destroem a base inimiga, o episódio em que invadem a base dos cybercops, o episódio com o clone dos heróis, e principlamente, todo aquele mistério envolvendo viagem no tempo com o Takeda e o Lúcifer. Por sinal, o elemento viagem no tempo foi muito bem inserido nesse seriado.

Claro, nem tudo são flores: os efeitos especiais desse eram horríveis. Beirando o ridículo de tão podres. Até fãs desses seriados que já estão acostumados com os defeitos especiais achavam esses especialmente ruins : P

Pra não variar, o episódio final desse seriado nunca foi exibido no Brasil mesmo tendo sido dublado e os seus direitos comprados, isso porque a Manchete tinha esse péssimo hábito: eles exibiam e repetiam a série exaustivamente e nunca exibiam o episódio final, pois assim, as pessoas teriam que ficar vendo as reprises até o dia em que passasse o episódio derradeiro. De fato, com crianças a técnica funcionava, porque eu assisti 50 milhões de vezes os episódios. Só que, no caso de Cybecops, eles foram tão sacanas que nunca exibiram o episódio final !!! Eu queria tanto assistir. Esse episódio foi colocado no youtube em 3 partes, viva o youtube

Uma das frustações dos fãs de Cybercops é que nunca lançaram brinquedos deles. Tinha bonequinho do Jiraya (até uns carros que ele nem tinha lançaram em brinquedo), do Jaspion, Winspector, Kamen Rider, mas não tinha nada de Cybercops. Nem bonequinhos.

Abaixo, brinquedos lançados só no Japão, perfeitos como sempre:

Bom, não sei como terminar esse post, então, fiquem com a abertura dele mesmo, em japonês, exatamente como passava no Brasil (felizmente, a Manchete, acho que por ser pobre, não mandava adaptar todas as aberturas). Existe uma versão em português no youtube, mas como eu nunca vi ela passar na TV, acho que foi feita por fãs. Aviso que é ruim de doer.

Aqui, guia de episódios.

Nossa, que texto longo … como eu me empolgo quando falo desses seriados : P

Anúncios

25 comentários sobre “Cybercops

  1. Esse seriado era muito bom. Bem melhor que Black Kamen Raider, apesar de ter assistido bastante também. Dos episódios, não lembro de quase nenhum. Lembro mais dos personagens e suas armas mesmo. Gostava de todos: Jupiter por causa da moto (anos mais tarde descobri que era IGUAL a do Kaneda de Akira hehe), Marte pela bazuca, Mercúrio pela agilidade, Lucifer pelo par de uzis que saia de suas costas (era sensacional isso!! 😉 ). Agora, revendo, como era simples os efeitos né? Pra mim eram perfeitos. hehe

    Esse era o seriado que mais gostava dos tokusatsu’s. Um que detestava com todas as minhas forças era sem dúvida Patrini. Espécie de Sailor Moon forma bizarra. (?) Horrível.

    1. Arrisco a dizer que Cybercop foi a melhor série que assisti, até hoje me causa uma emoção que não sei explicar quando vejo algumas imagens, ou as musicas ou um episódio, é como se eu tivesse vivido aquilo realmente de alguma maneira, sem explicação, aquele episódio que Akira tira a mascara de Marte a força é um dos que mais me marcou! Foi tão bom que nem ligo muito pros efeitos especias, da pra entender pela época e baixo orçamento dos caras! Se Cybercop fosse feito hoje com toda essa tecnologia de filmagem e animação e preservando o que tinha de bom seria perfeito!

  2. Ninguém citou o famoso “Spectreman”, que passava na antiga TVS (hoje SBT, do homem do Baú)… os efeitos deles também eram toscos. E foi o único que vi, dos outros citados só lembro de Jaspion, Jiraya, Changeman e Power Rangers (que eu já era maiorzinha e não cheguei a ver :-)))). Abs.

  3. Não, nunca tinha ouvido falar. Agora que tu disse fui correndo pro youtube ver se achava algo e… era melhor não ter encontrado nada. hehehe

    Muito tosco. Melhor, pra lá de tosco… É um herói ninja, como Jaspion/Jiraya, só que com um cabeça de leão?! Quem inventava essas séries? Quem assinava pra ir ao ar um troço desses?! hehe

  4. Lucifer rox!

    Hehehe, se bem que hoje, depois que revi alguns desses tokusatsus, mudei a preferência. Se antes eu achava o Black Kamen Rider um saco, hoje é o que eu mais gosto.

    Mas Cybercops eu gostava pela Tomoko mesmo!

    Mulheres computeiras são tudo de bom, hauhauha.

  5. como eu nao gosto muito disso nao li o post completo 😛
    Nao entendi bem essa diferenca pq winspector pelo pouco q vi me parecia igual a flashman e super sentai

    Na real, eu ateh curtia o Kamen Rider e SPECTROMEN (trashhh) 😛

  6. Cybercops eu achava muito bala na época, inclusive, existiam fervorosas dicussões com meus amigos sobre qual tinha os ‘melhores’ efeitos especiais – a briga era entre Cybercops e Jiban hehehehehe.

    No más, o mais legal vendo hoje em dia, era como eles tinham esses canos que levavam armas pra eles em toda a cidade. O cara corria pruma privada num banheiro público, digitava um código, e “PIMBA!” uma arma vinha voando pelos canos do Japão.
    Estiloso demais!!!

  7. ah. na minha ignorancia tudo q era grupo era super sentai

    curiosidade: existe algum super sentai q tenha uma historia continua tipo animes e q nao repita todos capitulos a mesma sequencia de fatos ?

  8. Olá,

    Nooossa… li todinho seu post e achei formidável.
    Hoje simplesmente após quase uma década sem assistir nenhum episódiozinho de cybercops voei para o youtube para baixar alguns capitulos graças a voce por passar toda a empolagaçao nas descrições que fez. Me fez viajar no tempo. Era o meu seriado favorito, ou melhor, tokusatsu como acabei de aprender! Gostei mesmo e fiquei muito satisfeito de ter parado por aqui. Se puder mande um olá p o mail, fiquei curioso sobre o acervo que vc provavelmente deve ter sobre todos esses seriados!
    Um grande abraço!

  9. puxa, impressionante, fiz verdadeiramente uma viagem no tempo, ao ler este post tive a oportunidade de reviver alguuns dos melhores momentos da minha infancia…fera de mais!!!!valew!!!!!

  10. nooossa! sou muito fanzona destes seriados japoneses. adorei estas informações sobre o cibercops, foi por causa destes seriados que fiquei apaixonada por japoneses, pois achava os superheróis muito lindos e fofinhos um abraço aline

  11. tb viajei no tempo lendo sua postagem, me fazendo rever todos os episódios e ver pela primeira vez o famoso episodio final que ainda nao tinha visto..

    adoro a cena de marte quebrando o próprio capacete para poder enxergar..

    vc tem um acervo.. me interesso muito pelo tema..

    se poder entrar em contato.. meu email está aberto..

    abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s