Arremeter o avião

Uma coisa que eu adoro é andar de avião. Não pela viagem em si … mas é que em geral eu viajo de avião pra sair de férias, fazer coisas legais. Óbvio que meu cérebro em algum nível fez essa associação de avião = coisa legal.

Além disso tem a comida do avião. Sou uma das poucas pessoas do mundo que acha super gostosa (quando não é só amendoim ou barra de cereal).


Bem boazinha até

Ou talvez não seja nada disso. Na realidade sempre achei o máximo aviões, mesmo antes de viajar num pela primeira vez. Sempre foi meio impressionante pra mim aquela coisa pesadona voando. Tanto que quando eu era criança sonhava em ser comissária de vôo. Na realidade esse desejo de ser ser aeromoça foi até a minha adolescência. Tanto que cheguei a consultar cursos para comissários de bordo, salários , etc. Mas aconteceu que eu segui o rumo da ciência da computação que é muito mais legal : D

Bom, então como deu pra ver, aviões sempre me fascinaram. Nunca senti medo de viajar num. As estatísticas provam que é um meio de transporte muito seguro.

Entretanto, quando voltei da minha segunda viagem para o Rio de Janeiro agora em Abril, senti um friozinho na barriga. Eis a história da grande epopéia.

Minha companhia aérea era a TAM. Na minha opinião, a melhor companhia aérea do Brasil, e que no passado era a mais chique, mas por causa de rivais econômicas como a Gol, tem ficado cada vez mais popular (nem o tapete vermelho tem mais). O meu avião decolou do Rio indo para Porto Alegre, com escala em Santa Catarina. Quando o avião subiu, o piloto logo avisa: estão previstos muitas turbulências nesse vôo. Para segurança da tripulação, não será servido lanche. Na hora já me revoltei, mas ok, nem tava com tanta fome assim.

O vôo segue tranquilamente, com pouca turbulência. Isso até pouco antes de descer em Porto Alegre. Um monte de nuvens e neblina, mas igual o avião se prepara pra descer. Ele vai perdendo altitude, perdendo velocidade, até que as turbinas fazem um barulho enorme, o avião embica pra cima, e começa a subir de novo. A primeira vez que presencio um avião arremeter. Na teoria é um procedimento seguro, mas na prática é bastante emocionante por assim dizer. Pessoas meio assustadas no avião e tal ( porque nessas horas todo mundo lembra do grande problema da TAM: grande parte do acidentes aéreos brasileiros aconteceram com essa companhia).

O avião então começa a sobrevoar por Porto Alegre. O piloto avisa que vai esperar uma nova autorização para tentar pousar de novo. Ele vai lá tentar de novo e adivinhem? Outra arremetida.


TAM

O comandante alerta que vai esperar por condições climáticas melhores. E por causa disso vai pousar no aeroporto de Curitiba, pois o de Florianópolis estava com neblina também.

Nisso, a viagem que era pra durar 2 horas durou 8 (porque ainda houve uma espera em Curitiba).

Quem precisa de greve dos aeroportos quando já temos os problemas climáticos?

De qualquer forma, antes um atraso de 8 horas do que um avião espatifado no chão.

Anúncios

Outros “sabores” de Pepsi

Vi numa revistinha da Pepsi que veio junto com a útima Super Interessante (aquela com a capa do Indiana Jones). Sabores de Pepsi bizarros que existem ao redor do mundo. Depois de ve-las, aquelas misturas insólitas de Fanta Laranja com Teen que eu fazia quando era criança pra ver como ficava até parecem saborosas.

Eis a lista:

Pepsi Cappucino: Vendida na Ásia, America central e Europa. Pepsi com café, para aqueles que não querem dormir mesmo. Chamada de Pepsi Tarik na Malásia e Pepsi Caffechino na terra de Apu Nahasapeemapetilon.

Pepsi Ice: Vendida na Ásia e México. É igualzinha a aquele guaraná ice vendido por aqui e que era muito bom. Essa eu até queria provar.

Pepsi Vanilla: Vendida na América do Norte. Pepsi mais docinha, será que fica bom ? Experimentarei em breve.

Pepsi X: Tem nos EUA e aqui também. Pior que nunca provei. Na realidade, eu nem sabia de que era feita, mas agora já sei, é uma Pepsi com guaraná(!) e uma dose extra de cafeína. E ainda por cima tem vitaminas.

Pepsi Samba: Vendida na Austrália. Tem manga e tamarindo (mas não parece suco de laranja e não tem gosto de limão).

Pepsi Blue: Vendida no méxico e Indonésia. Sabor de framboesa e algo chamado mirtilo. Tem cor azul. Qualquer alimento de cor azul é ruim e não pode ser diferente com esse.

Pepsi Ice Cucumber: Vendida adivinhem aonde ? Terra das coisas bizarras: Japão. Tem cor de Sprite e gosto de pepino, eca. Mas é do japão, então deve ser bom.

Pepsi Wild Cherry: Vendido nos EUA. É a cópia da famosa cherry coke, mas mais selvagem. Não entendeu? Nem eu.

Pepsi Fire: Vendido na Ásia e no México. Tem canela e um gostinho picante.

Pepsi Red: Imaginem uma coisa bizarra, tipo a Pepsi ficando vermelha. Aonde isso poderia estar sendo vendido? No Japão é claro ! Tem gengibre e também é picante. Depois dessa só falta Coca azul.

E tem ainda a Pepsi Gold, que parece cerveja.

Malditas promoções de criar frases

Eu leio a Zero Hora quase todo dia (quando não acordo atrasada). Tomo meu café da manhã sempre lendo. E a minha parte favorita do jornal é o Segundo Caderno. Pra quem não é do Rio Grande do Sul e não sabe, é o caderno da Zero Hora referente as informações culturais como shows, filmes, críticas músicais, etc.

Na contracapa do Segundo Caderno, temos uma seção escrita por uma jornalista chamado Roger Lerina. Diria que é a parte mais legal do jornal. Nela tinha uma promoção referente ao filme Sex and The City.

Pra quem não sabe, eu sou ultra mega super fã da série de Carrie e companhia. É o único seriado que eu tenho todas as temporadas em DVD originais (se bem que em breve completo The O.C). Pois então, em sua seção, Roger Lerina anunciou uma promoção, no qual os vencedores ganhariam como prêmio ir ao cinema ver a pré-estréia do filme, sendo buscada em casa de Mercedez com motorista (e não é eufemismo para ônibus, é o carro mesmo : P) e ainda por cima, ganharia uma noite no hotel Sheraton, o hotel mais chique, caro e poderoso de Porto Alegre. Hotel que sempre hospeda os famosos que vem para POA como Avril Lavigne, Amy Lee, etc.

Aqui um printscreen da coluna do Roger falando sobre a promoção:

Notem que eu só precisava responder de maneira criativa a frase: Por que você merece ser tratada como uma diva? Aí começou o primeiro problema: eu nunca ganhei nenhuma promoção que tivesse que inventar frase. Na realidade, eu nunca ganhei promoção nenhuma. Mas eu estava determinada a ganhar. Fui tomar um banho e começei um autobrainstorm, pensando em todas as frases possíveis. Notei que a busca exaustiva não funcionava, e comecei a usar algumas heurísticas. Eu já tinha umas 5 frases que eu considerava boas. Pensei até em mandar mais de uma frase, bastava eu mandar no nome de alguma amiga (como o prêmio é com acompanhante, certo que eu iria ir junto). Mas dai usei meu pouco aguçado processo decisório e consegui escolher uma frase só. A frase pefeita.

Pá, fui no site da Zero Hora e mandei. Ai hoje fui lá conferir pra ver se eu tinha ganhado. O legal da Zero Hora e que eles publicam as frases vencedoras, pra tu ter a possibilidade de ver como as outras pessoas são mais criativas.

E adivinhem o resultado?

* Que rufem os tambores *

Perdi, óbvio. Como disse, essas promoções são impossíveis de ganhar.