Dos filmes que eu gosto: Segundas Intenções

Segundas Intenções é daqueles que filmes que tem uma história clichê total (cara quer conquistar uma guria por causa de uma aposta, mas adivinhem, se apaixona por ela e deixa sua vida de cara mau), mas daqueles clichês legais sabe, bem feitos, que dá gosto de continuar vendo o filme, não é que nem clichês podres a mal feitos como Segundas Intenções 2 por exemplo, uma continuação bisonha que tentou repetir o sucesso do antecessor. Além disso, tem atores legais, e principalmente, uma trilha sonora ótima que virou minha favorita.

O filme começa com o Sebastian andando naquele carro super style (maria gasolina detected hahahah, capaz, nem ligo pra carro, é sério) andando numa das highways de Nova York, com aquela quantidade descomunal de cemitérios embaixo da estrada com Every you Every me, uma das melhores músicas de uma das minhas bandas favoritas, o Placebo.

O Sebastian é interpretado pelo Ryan Phillipe, que no filme faz o estilo de bonitinho ordinário : P. Pena que depois ele nunca mais fez um filme que prestasse, pelo menos não que eu lembre.

Depois da cena do carro, aparece o Sebastian aprontando total com a psicóloga idiota dele. Tipo, apronta mesmooooo, mas como a psicóloga era do mal também, você acaba nem se importando, mas já nota que ele não é flor que se cheire.

Depois do começo do filme ele, o Sebastian, vai lá falar com a sua meia irmã bonitona, a Sarah Michele Gellar, de cabelo preto, e do mallllll. Claro que pelo fato do filme adorar clichês, a personagem do mal é meio slut por assim dizer e a do bem é totalmente pudorada. Acho que a Sarah tava meio de saco cheio de ser tachada de Buffy, caça vampiros loira do bem, e foi fazer esse filme pra tentar tirar o estigma.

Voltando ao filme, daí eles fazem aquela aposta super do mal. A Buffy dúvida que o Sebastian pegue a filha loira virgem e bonitinha do diretor da escola super high society que eles estudam (acho que esqueci de mencionar, os personagens do filme são milionários, meio Gossip Girl style).

A tal filha do diretor é a Reese Whitespoon, atriz que eu adoro e que faz uns filmes ótimos, tipo A eleição. Ela inclusive se casou com O Ryan Phillipe, mas depois de uns anos, se separaram.

Bom, depois, o filme é basicamente o pessoal tratando mal a personagem da Selma Blair, mas assim, só por diversão e o Sebastian dando em cima da Reese e ela negando e tal, porque ela tem seus preceitos, até que ela finalmente se apaixona enlouquecidamente por ele, e ele também, e assim o filme segue. Mas essa parte da conquista é ótima por causa do jogo de sedução, dos diálogos, justamente porque o Sebastian e a Annete (a Reese) tem pensamentos bem diferentes.

E o melhor, as cenas são acompanhadas pela trilha sonora que eu já tinha elogiado e vou elogiar de novo. Além de Every you Every me do Placebo, tem Praise do Fatboy Slim, Coffee and Tv do Blur, Colorblind do Counting Crows (essa toca quando o Sebastian tá subindo na escada rolante pra encontrar a Annete, adoro a cena) e a cena final com a magnetizante Bittersweet symphony do The Verve. Adoro as cenas finais desse filme com a Sarah Michele Gellar (eu sempre lembro do Ross por causa do Gellar, tá, eu sei que é Geller o dele, mas é parecidinho, vai), com aquela cara de Oh my god !!!

Anúncios

Hannah Montana é o máximo !

Hannah Montana é uma típica sitcom. E acreditem, é legal mesmo que você não seja uma criança ou não goste de palíndromos!

Sendo uma sitcom, o que você vai ver, basicamente, são episódios que podem ser assistidos fora de ordem embora exista uma certa continuidade neles, tipo Friends ou Two and a Half man, várias piadinhas rápidas, com risadas no fundo e duração de 22 minutos.


Hannah e Miley

No seriado, Miley Stewart é uma garota de 14 anos que tem uma vida dupla: quando ela se disfarça (apenas colocando uma peruca loira), ela vira Hannah Montana, uma cantora de sucesso. Esse nome meio country vem do fato da família dela ser do interiorzão dos EUA, mas o seriado já começa com eles morando na Califórnia. Os episódios giram em torno da vida familiar de Miley, conflitos na escola, com os amigos, a dificuldade de viver uma vida dupla, etc.


Viu como um óculos e um gelzinho podem disfarçar bem? Pois é, perucas loiras também funcionam.

O seriado me lembrou um pouco Punky, a levada da breca, ou mesmo Blossom. Claro, eu prefiro Punky e Blossom, mas Hannah Montana é bem divertidinho. Digamos que Hannah Montana seja uma versão mais crescidinha da Punky ou mais criança que a Blossom.


Minha ídola


Você sabia que atriz que faz a Blossom tem doutorado?

E se você viu High School Musical, achou uma droga, e acha que Hannah Montana é igual, tudo farinha do mesmo saco (especialmente porque ambos são da Disney), não se engane! Hannah Montana está anos luz dessa trilogia tosca do Troy e da Gabriella, a qual eu só tive saco de ver o primeiro filme.


Músicas a cada dois segundos, um dia eu faço um post falando mal

Algumas piadas de Hannah Montana são notavelmente infantis, mas grande parte diverte qualquer pessoa de qualquer idade. Claro que por causa do público alvo, você não vai ver piadas de cunho sexual, ou cenas de nudez, ou qualquer coisa do tipo. Muito menos palavrões. E claro que você tem que aceitar alguns absurdos do tipo, no mundo real, os papparazzi em dois minutos descobririam que Miley é a cantora, mas no seriado não, mas isso não tira a graça da sitcom.

As músicas são bobinhas, mas eu me divirto bastante com a abertura, Best of Both Worlds. Mas o melhor é que tem no máximo uma por episódio (e em geral é só um trecho e não a música inteira), e as vezes nem tem.

Assisti a primeira temporada inteira (o seriado está na terceira, e deve ir até uma quarta, máximo quinta), e a Miley é muito simpática. Logo me apeguei a ela, e a amiga dela, Lilly, uma espécie de Six ou Cyntia (Cherrie). Não curto muito o irmão da Miley, que é aqueles persongens que tem a função de ser cômicos mas que acabam não conseguindo.


Lilly, Oliver e Miley

Uma curiosidade interessante é que a atriz que interpreta Miley Stewart se chama Miley Cyrus. E o cara que interpreta o pai dela no seriado, é de fato pai dela na vida real. E Miley Cyrus namorou um carinha feinho do Jonas Brothers na vida real, mas eles já terminaram.

Miley Cyrus é daquelas personalidades bem recatadas na dela, mas a imprensa faz de tudo pra achar um escândalo de cunho sexual com ela. Tadinha. Essas fotos aqui, ao que parece, foram tiradas por ela mesma num celular e acabaram vazando na Internet, assim, como o tal banho dela com suas amigas.

Pelo visto, é a coisa mais pelada que vão conseguir ver dela.