Linha Pó de Diamante da Boticário

A Boticário lançou uma nova linha de produtos, a Celebrare Collection, linha de maquiagem Outono/Inverno 2009. O grande destaque dessa coleção é que os produtos possuem na sua fórmula pó de diamante. Sim, você leu certo, pó de diamante. Segundo a Boticário, isso promete mais brilho nas suas novas cores.

Eu e minha imaginação louca (e nerd) começou a pensar como esses produtos eram feitos. Ai me veio a cabeça o Hyoga de Cavaleiros do Zodiaco aplicando seu golpe mais poderoso em um monte de batons, blush e rimels.


Pó de diamante !!!

Anúncios

Ele não está tão a fim de você revigora o gênero das comédias românticas

Todo mundo que lê esse blog deve saber que eu ADORO comédias românticas. Mas mesmo eu, fã do gênero, percebia que salvas raras exceções, ele já não gerava um filme que preste faz tempo. Parecia que o gênero tinha sido enterrado para sempre.

Mas esse Ele não está tão a fim de você mostrou que basta um pouquinho de criatividade pra bons filmes desse tipo voltarem a aparecer. A criatividade começa no título: uma comédia romântica cujo título já não é algo romântico, justamente pelo contrário, é algo no minímo curioso.

Por incrível que pareça, o filme é baseado num livro de auto-ajuda. Como todos devem saber, livros de auto-ajuda não tem roteiro nem história, é basicamente uma sucessão de dicas. Na cabeça de qualquer pessoa normal não tem como adaptar um livro assim e sair algo que preste.

Mas não quando os produtores do filme são roteiristas de um seriado do calibre de Sex and the City. Eles basicamente pegaram as lições do livro e criaram histórias que mostrassem essas lições. Como o livro fala sobre como as mulheres se iludem em relação aos homens, o filme também segue essa linha.

Como assim se iludem? O filme ilustra isso com vários fatos, como por exemplo, o homem que não liga depois do primeiro encontro. Muitas mulheres inventam uma sucessão de motivos (em geral absurdos) que justifiquem a tal não ligada: ele perdeu meu telefone, ele está ocupado, ele está viajando, etc. O que o livro (e o filme) querem mostrar é que esses motivos são a exceção, não a regra. Se ele não ligou, é porque (em 99% da vezes) ele não está tão a fim de você, e que homens fazem de tudo pra te achar quando estão a fim.

O filme é várias histórias sobre ilusão. Claro que sendo uma comédia romântica, eles não resistiram e colocaram umas exceções. Mas talvez as exceções estejam no filme justamente para mostrar que, embora seja baseado num livro de auto-ajuda, não existem dicas infalíveis pra serem seguidas.

O filme me lembrou bastante a comédia romântica inglesa “Simplesmente Amor”, o que por si só já é um baita elogio. Os filmes tem semelhanças no fomato, com várias histórias de amor se passando ao mesmo tempo, e também mo elenco, estelar em ambas as produções. Daqueles elencos que nem cabem direito no poster do filme e nem dá pra saber qual colocar primeiro.


Eles resolveram o problema da ordem dos atores colocando por ordem alfabética de sobrenome

Claro, o filme tem alguns defeitinhos, do tipo tentar colocar os homens como vilões às vezes, mas nada que atrapalhe demais o resultado final.

No fim das contas, é legal saber que Hollywood ainda sabe fazer comédias românticas de vez em quando. Achei que só os ingleses tivessem a manha atualmente.

Andy Warhol, Watchmen, Star Wars e Wolverine

Como eu dise no outro post, Andy Warhol é considerado gênio porque soube captar a essência da segunda metade do século XX. A influência dele na arte é reconhecida e mostrada em Watchmen. No início do filme aparecem algumas cenas desse século, mas num mundo alternativo, onde os heróis existem e convivem entre nós. Numa dessas cenas, aparece Andy Warhol apresentando uma de suas obras baseada em um desses heróis. Nada mais justo, uma vez que se eles existissem de verdade, seriam ícones da cultura pop, e por isso tenho certeza que seriam retratados por Warhol, ainda mais visto que Warhol de fato, usou como temática os quadrinhos em algumas de suas obras.


Superman pintado por Andy Warhol. Tem também um do Batman

Nessa cena de Watchmen, percebe-se claramente que Warhol está apresentando seu quadro no seu estúdio, a Factory.


Cena dos créditos iniciais de Watchmen

A Factory era uma fábrica abandonada em Nova Iorque que Warhol comprou e decorou quase toda na cor prata (mesma cor de sua peruca, acho que ele curtia essa cor). De dia ele trabalhava lá, e de noite aconteciam grandes festas no local. Além disso, o lugar estava sempre de portas abertas por isso era sempre cheio. Mas não era só ralé que aparecia por lá, alguns frequentadores eram nada menos que Bob Dyan, o pessoal dos Rolling Stones, Salvador Dali, Judy Garland, etc. E pelo visto tinham também pessoas louquíssimas que frequentavam a Factory porque no filme, do nada, aparece um cara passando pelado (!)


Um segundo antes do peladão aparecer

Apesar de “festeiro”, Warhol era tímido, nunca casou e morava com a mãe. Warhol também sempre foi extremamente irônico como dá pra ver nessa entrevista da BBC, livremente traduzida por mim.

Edward Smith: Você gostaria de ver suas obras penduradas em muitas paredes ?
Andy Warhol: Uh, não, eu gosto delas dentro de guarda-roupas.

Uma das frases mais conhecidas do mundo foi dita por ele: “In the future everyone will be famous for fifteen minutes”. ou seja, “no futuro todo mundo será famoso por 15 minutos”. Notem que mesmo havendo um quê de ironia na frase, ela de fato, cada vez parece mais real com a massificação da Internet, que faz que as personalidades mais improváveis terem seus momentos de fama.

Ele também é dono de outras frases como:

The idea is not to live forever, it is to create something that will.
A idéia não é viver para sempre, é criar algo que irá.

Don’t pay any attention to what they write about you. Just measure it in inches.
Não preste atenção ao que escrevem sobre você, apenas meça em polegadas (em suma, fale mal, mas fale de mim).

Warhol teve muitos detratores, inclusive, da mesma maneira de John Lennon sofreu um atentado (mas sobreviveu) que foi retratado no filme I shot Andy Warhol (que eu não assisti).

Entre seus detratores tem também Robert Hughes, crítico de arte, que numa entrevista na revista Veja disse

“Warhol foi uma das pessoas mais chatas que já conheci, pois era do tipo que não tinha nada a dizer. Sua obra também não me toca. Ele até produziu coisas relevantes no começo dos anos 60. Mas, no geral, não tenho dúvidas de que é a reputação mais ridiculamente superestimada do século XX.”

A maior parte da obra de Warhol pode ser vista no Museu Andy Warhol, em Pittusburgh (mesma cidade onde tem a Casa Cascata de Frank Lloyd Wright). Como todo bom museu, ele não se restringe a mostrar sempre as mesmas obras. Existem exposições temporárias bastante interessantes. Na exposição atual, foi dado um desafio bastante curioso para 100 artistas. Foi entregue para eles um capacete igual ao vilão mais pop e conhecido do mundo, Darth Vader, e pediram para eles reimaginarem o capacete de Darth Vader.


WTF?

<img src="http://i207.photobucket.com/albums/bb102/mari_sm/vader-liberty.jpg&quot; alt=""/
Esse Vader Estátua da Liberdade eu curti.

Mas não é só nesse museu que se encontram obras de pop art sobre Star Wars. Essas são algumas obras de um artista japonês chamado EELUS baseadas nos filmes de George Lucas que ficou muito legal.


Vem aqui, que agora eu to mandando, vem meu cachorrinho a sua dona tá chamando


Corte, barba e cabelo para Wookies

Por fim, a editora Marvel publicou algumas capas alternativas do quadrinho de Wolverine que são releituras de obras de arte. Óbvio que Warhol também foi homenageado.


Logan também é pop, até apresentou o Oscar.

Andy Warhol, o gênio da pop art

Dos três pintores mais conhecidos do século XX (Pablo Picasso, Salvador Dali e Andy Warhol) o menos conhecido é justamente o grande representante da pop art, ironicamente, uma arte que utiliza elementos mais próximos do grande público como inspiração.

Quem é Andy Warhol ? Andrew Warhola (mudou de nome mais tarde, por achar que soava mais americano). era descedente de checos (mais um para corroborar com a tese dessa comunidade do Orkut) que teve uma infância pobre em Pittsburgh , mas sempre teve a oportunidade de estudar (ele se formou na Carnegie Mellon). Após se formar se mudou para Nova Iorque. Trabalhou no mundo publicitário, criando capas de cds (quem não lembra daquela famosa banana na capa do disco do Velvet Underground?), livros, revistas, e logo obteve muito sucesso, o que lhe abriu possibilidades no mundo da arte.


Grande Vaca Bit pop art

Por ser admirador da cultura americana e principalmente, consciente da época em que vivia (anos 50/60), Warhol utilizou como temas o consumismo e as celebridades (que na verdade não passam de suproduto do consumismo).

Embora seja considerado por muitos como um pintor, Warhol pintou pouquissímos quadros. Grande parte deles eram serigrafia, e em muitas vezes, Warhol apenas dizia o que queria e outras pessoas executavam a obra. Isso faz de Warhol um dos primeiros artistas conceituais, ou seja, um artista que idealiza uma obra mas não necessariamente a executa. Além de poder criar mais obras (já que ele teria que se preocupar somente com o conceito), a maneira de fazer suas obras refletiriam exatamente aquilo que elas retratam: rápidas, em grande escala e de certa forma impessoal (já que não teria a pincelada de Warhol). Mas notem que mesmo que ele “apenas” idealize uma obra e não a execute diretamente, é extremamente fácil de reconhecer uma obra de Andy Warhol, o que demonstra que mesmo apenas no papel de idealizador, ele conseguiu imprimir um estilo muito pessoal na sua arte.


Não é do Warhol, mas vai dizer que não foi no mínimo fortemente inspirada?

Essa a grande genialidade desse artista: Warhol, de uma maneira única, captou a essência da segunda metade do século XX.

Vejam por exemplo sua obra mais famosa, a lata de sopa Campbell’s, a sopa mais consumida nos EUA (e cara pra dedéu aqui no Brasil). Para Warhol, ela lembra o sabor da infância. Ou seja, ela representa um sabor tenro e terno mas enlatado e pronto para o consumo.


Nunca provei, mas duvido que seja melhor que sopa Meu Instante de quatro queijos da Maggi.

Warhol desenhou a Coca-Cola em sua obra não só por que é o produto mais vendido, símbolo do capitalismo, mas porque para ele, a Coca era um símbolo de igualdade. Tanto você quanto a Madonna, Tom Cruise ou Britney Spears bebem a mesma Coca-Cola. Não importa a classe social, você sabe que a Coca-Cola que eles bebem tem o mesmo sabor que a sua.


Sempre Coca-Cola.

Também é comum quadros de personalidades famosas repetidas a exaustão. Aí possivelmente ele quer passar a idéia de que essas personalidades são conhecidas por todos, estão em todos os lugares (revistas, TV, Internet), e talvez elas estarem pintadas com varias cores diferentes num mesmo quadro mostre que elas não são necessariamente retratadas pela mídia da maneira que elas realmente são.


Tem também versão do Mao Tse Tung, Liza Minelli, Ingrid Bergman, etc.

Ou seja. são infinitas interpretações que podem ser dadas a seus quadros, o que demonstra que a pop art, embora parece uma arte fácil e rapidamente consumível, é bem mais complexa (e interessante) do que pode aparentar.