Por que eu não gostava muito mas agora adoro How I met your mother

How I met your mother é uma sitcom no qual o protagonista (Ted) conta para seus filhos como ele conheceu a mãe deles. Só ele conta para os filhos histórias desde o momento que ele decidiu que queria casar, isso quando estava por completar 30 anos, logo são apresentadas todas as namoradas que ele teve desde então.

Nisso você conhece os amigos dele, Lily e Marshal, casal que se conheceu na faculdade, Barney e Robin.


Barzinho que a galera toma cerveja

Uma das grandes qualidades do seriado é a narrativa sofisticada em comparação a outras sitcoms: idas e vindas no tempo (não linearidade), flashbacks dentro de flashbacks, várias versões para um mesmo acontecimento (por exemplo, um mesmo acontecimento pode ser mostrado várias vezes na versão de vários personagens diferentes), etc. Em suma, é uma narrativa interassante, e como dito, não usual nesse tipo de seriado.

Além disso, as piadas e situações em geral são muito engraçadas, mas para mim uma sitcom precisa de mais do que isso para funcionar, precisa mais do que situações engraçadas, uma sitcom precisa de personagens carismáticos.

E era ai que residia o grande problema de How I met your mother pra mim: eu não achava seus personagens carismáticos. O Ted era romântico de um jeito carente e irritante, Lily e Marshal um casal perfeito sem falhas e o Barney um sem vergonha que mesmo engraçado era nojento pra mim. Só quem se salvava era a Robin, a canadense mais legal do mundo depois de Alanis Morissette.


Robin e Barney

Mas como a série era MUITO bem falada, eu felizmente segui assistindo mesmo sem estar curtindo tanto (afinal era só 20 minutinhos cada episódio). Bem que eu fiz. Talvez seja aquele apego aos personagens que vai se criando a medida que se assiste uma série, mas mais tarde (tipo metade da primeira temporada) eles ficaram bem mais interessantes. A Lily e o Marshal acabam tendo problemas normais que todo casal enfrenta, o Ted acaba namorando algumas personagens e a gente vê que ele não é tão carente e irritante assim (embora ainda seja o personagem menos interessante).

Mas a grande mudança de paradigma aconteceu em relação ao Barney. Aos poucos nota-se que embora ele seja cachorrão, ele tem motivos no passado dele, e que ele de uma forma mesmo que estranha, ama bastante sua família e amigos, e pode até mesmo nutrir amores platônicos por um bom tempo. É meu personagem favorito atualmente, junto com a Robin.


Barney e uma de suas teorias loucas e ótimas.

O seriado está quase no fim da quarta temporada e pelo visto muitas outras ainda virão por aí. Recomendado para todo mundo fã do gênero.

Loja oficial da Turma da Mônica e o personagem Louco

Se tem uma coisa que eu adoro são lojas oficiais de algum personagem, quadrinho, filme, serie etc. Imagina só, uma loja cheia de cacarecos e produtos OFICIAIS relacionados apenas a algum assunto de seu interesse.

Ao contrário dos Estados Unidos e Japão, onde existem lojas especializadas em várias coisas, como por exemplo lojas só com produtos de Pokémon, ou só com produtos de seriados da NBC, etc, aqui no Brasil é bem difícil de encontrar.

E se levar em conta que eu não moro nem em São Paulo e Rio de Janeiro, mas sim Porto Alegre, fica mais difícil ainda. Por isso não é de se admirar que eu tenha ficado tão abismada quando vi uma loja oficial da Turma da Mônica aqui em Porto Alegre, no aeroporto Salgado Filho.



Fotos tiradas na câmera da Bruna, que tem também um site de seriados muito legal.

Eu amo essa turminha, pra terem uma idéia do meu fanatismo, um dos meus top filmes de todos os tempos para sempre será A princesa e o robô, longa metragem animado de 1983 que eu assisti 10938473 milhões de vezes na infância. Nele a Turminha ajuda um robô em formato de coelho a achar um coração. Qualquer semelhança com o Mágico de Oz é mera coincidência.

Mas vamos falar sobre a loja. Embora não seja muito grande, a loja é obviamente linda. Tem de tudo. Claro que eu não perdi uma chance de tirar uma foto com um Sansão.



Checando o poder de fogo dessa poderosa arma.

O grande problema da loja é os preços absurdamente exorbitantes, que me impediam de compar algo cada vez eu conjecturava levar um produto.



Mais produtos.

Eu já estava quase convencida em não levar nada, mas não pude resistir quando vi que tinha até traquitana do Louco, aquele personagem que pouca gente conhece super alternativo, legal e indie que atormentava a vida do Cebolinha.



Ele usa All Star vermelho e jaquetinha retrô.

Tipo, ninguém cria ou licencia produtos do Louco porque ele nem é dos personagens mais queridos, por isso quando vi um produto dele nessa loja, tive que comprar, independente do preço.



Bonequinho que comprei e que agora fica pendurado no meu monitor LCD.

E vocês sabiam que apesar de louco, ele é super inteligente? Opa, você deve estar me perguntando “Como assim Mari ? O Louco é só um louco, ele não é inteligente”. Pois é, eu também achava isso, mas notem que na famigerada Turma da Mônica mangá, o Louco é apresentado como professor da turminha da rua do Limoeiro. Além disso seu verdadeiro nome é apresentado.

Ele se chama Licurgo. Style né ? : P

Mais alguns artista de Pop Art

Depois de dois posts falando sobre Andy Warhol, é hora de falar sobre outros artistas importantes da Pop Art. O mais conhecido depois do Andy é Roy Lichtenstein. A obra dele mais significativa é quase toda baseada em quadrinhos. Logo, se você ver alguma coisa que lembre quadrinhos exposta numa galeria, há grandes chances do artista ser ele.



Por que ao invés de fazer quadros retratando quadrinhos ele não fez quadrinhos contando quadros?

Yayoi Kusama é uma artista pop Japonesa viva até hoje. Se você ver um monte de bolinhas em alguma obra, grandes chances de ser ela a dona. Não, não me perguntem o que quer dizer os pontos, mas vai dizer que as obras não são bonitinhas?


Dots Obsession é o nome da obra


Aposto que a doença favorita dela era catapora

Wayne Thiebaud é o artista dos doces retrô. Se o quadro tem alguma guloseima antiga meiga, chute ele como autor do quadro.


Qual criança não adorava essas “maquininhas” de bala?


O que leva alguém a pintar praticamente só doces?

Bom, têm também aqueles artistas one hit wonder, isto é, fizeram só um quadro relevante. Aqui vai três deles:

Jasper Johns: Ele fez um quadro chamado flags, aquele com uma bandeira por cima da outra, que você já deve ter visto.

Richard Hamilton: Um inglês considerado o cara que iniciou a pop art, com o quadro “O que faz os lares de hoje serem tão diferentes, tão chamativos?“.


O que faz os lares de hoje serem tão diferentes, tão chamativos ? Nesse caso com certeza é um homem musculoso nú no meio da salá : P

Peter Blake: Fez a capa do disco Sargent Peppers Lonely Hearts Club Band dos Beatles, considerada uma das capas de disco mais marcantes de todos os tempos. Nem preciso botar foto né?

Semelhanças entre Beatles e Franz Ferdinand

Entre meu top bandas favoritas, certamente Beatles e Franz Ferdinand fazem parte. Observando melhor eu comecei a notar que elas tinham algumas semelhanças. E dai surgiu essa listinha de 7 coisas em comum. Pra entrar no clima da lista, It won’t be long dos Beatles cantada pelo Franz Ferdinand.

Estranho ou legal?

Eis a lista:

1. Ambas são da ilha do rock, o Reino Unido.

2. Ambas têm músicas cantadas em alemão (Tell her tonigh em alemão do Franz e I wanna hold your hand and She loves you em alemão dos Beatles)

3. Ambas as bandas tem um integrante chamado Paul (Paul Thomson, o bateirista do Franz Ferdinand e Paul McCartney, baixista dos Beatles)

4. Ambas tem músicas com mulheres chamadas Eleanor no título (Eleanor put yout boots on do Franz Ferdinand e Eleanor Rigby dos Beatles)

5. Ambas usavam/usam ternos e roupas sociais para tocar nos shows (pelo menos inicio da carreira dos Beatles)

6. Ambas são bandas com 4 integrantes.

7. As duas bandas têm músicas que mencionam garotas de 17 anos (Jacqueline do Franz Ferdinand e I saw her standing there, dos Beatles)

Conseguem pensar em mais alguma semelhança pra eu colocar na lista ?

Filme Dúvida

Ouvi um monte de gente falando mal desse filme, que ele era muito paradão, muito chato e tal. De fato é paradão, mas está anos luz de ser chato, de fato, é excelente. Eu adoro filmes que tenham uma grande dose de diálogos fortes, tipo Closer e meninamá.com, no qual os envolvidos nos diálogos sabem argumentar muito bem, e esse filme é exatamente assim.

O filme se passa numa igreja (que também é escola) em 1964 e o padre dessa paróquia é acusado pela freira de ter abusado de um menino. Vejam o trailer, que transmite bem a essência dessa produção.

Mas a qualidade de Dúvida não está só nos diálogos, está presente também em sua temática. É um filme que faz uma grande abordagem sobre o tema da dúvida. E essa abordagem fica mais poderosa porque o espectador também fica em dúvida, sem saber se acredita na freira Aloysius ou no padre Flynn, lembrando bastante, nesse aspecto, ao livro Dom Casmurro.

Claro que filmes que se apoiam no diálogo são obrigados a ter boas atuações para funcionar, o que é caso dessa produção, no qual 4 atores foram indicados ao Oscar. Levando-se em conta que só 4 personagens realmente participam do filme, isso quer dizer muita coisa.

Isso que eu nem mencionei a fotografia, bem fria, combinando com o ambiente que o filme se passa. Filmaço.

Show do The Beats com Pete Best

Quem é fã dos Beatles e tem a oportunidade de ver o show dos The Beats, não perca a chance, o show é único. Eu por exemplo quase perdi a chance. Começou que ninguém que eu conhecia queria ir no show, até porque o ingresso mais barato era 60 reais, e mesmo sendo uma banda cover dos Beatles, ainda é cover, e muita gente acha caro pagar 60 reais pra ver banda cover (preço do ingresso mais barato). Mas estavam mais que enganados, o show valia muito mais.


Ingresso do show

Então, no próprio sábado, dia do show, decidi que iria. Fui numa loja Multisom comprar meu ingresso só que não tinha mais. Pensei, hum, vou chegar umas 2 horas antes de começar o show e comprar.

Antes de ir pro show fui no mercado, onde tinha um caixa eletrônico para sacar dinheiro. Nisso eu esqueço minha carteira em cima do caixa eletrônico ! O problema é que só me dei conta uns 5 minutos depois. Sorte que uma pessoa honesta pegou e deu ela pra um guardinha. Adrenalina alta até achar a carteira.

Bom, depois disso fui pro teatro do Sesi, local que aconteceria o show. Chegando lá, uma fila pra comprar ingressos. Pergunto pra vendedora se ainda tinham ingressos e eles ainda iriam ver se tinha. Depois de uma hora na fila, alguns ingressos surgem e eu consigo comprar o meu, platéia alta, 72 reais, com 10% de desconto pelo clube do assintante da Zero Hora.

Qaunto ao público, era eclético, desde crianças, até aqueles velhinhos rock ‘n roll. Tinha também um monte de gente super arrumada e gente de camiseta da banda.

Quanto ao show, fantástico. O show é dividido por épocas, não cronológicas. Por exemplo, começou com as músicas do Magical Mistery Tour e aquelas roupas dessa época, depois foi pro Sgt Peppers, ai foi pro Abbey road, até que no final do show, as músicas do início da carreira foram cantadas. E entre cada época, um video sobre os Beatles ou The Beats era mostrado. Videos bem interessantes, embora as legendas fossem podres e mau traduzidas.

Como depois do Help, os Beatles não fizeram mais turnês de shows, quase ninguém teve a chance de ver eles tocando suas músicas da metade da carreira em diante. Pelo menos eu tive a chance de ver com a banda mais parecida possível : )

E são parecidos mesmo ! Claro, eu não sou especialista na banda, mas pelo menos essa pessoa aqui, que viu o primeiro show dos The Beats em Porto Alegre (o show que era sem a participação o Pete Best), achou a banda bem fidedigna, embora pra ele o Paul não fosse muito convincente (pra mim foi : P). Roupas iguais as utilizadas por eles, os mesmos instrumentos, etc.


Pete Best com os Beatles de verdade

Outra coisa legal é que foi um show de 2 horas e 40 minutos de duração. Pra mim que tava acostumada a pagar às vezes 100 reais pra ver shows de pouco mais de 1 hora foi gratificante ver um show com uma duração decente (embora o tempo tenha passado voando e parecido que foi 1 hora).

E tem o teatro do Sesi né, que é de longe o melhor lugar no qual eu já assisti um show. Tipo, até então o melhor lugar era o Teatro do Bourbon Country, mas esse teatro do Sesi colocou o do Bourbon no chinelo. Da platéia alta dava pra ver tudo muito bem, sem ser longe demais.

Mas claro, deixei a grande parte do show pro final, a participaçaão do Pete Best. Pra quem não sabe, Pete Best foi o bateirista dos Beatles no início da carreira, mas um pouco antes de eles realmente ficarem famosos, expulsaram o pobrezinho e colocaram o Ringo Starr no lugar dele, o que é uma pena, porque o Pete era o mais bonitinho da banda e colocaram o Ringo que é o mais feio de todos de longe : P


Vai dizer, era o mais bonitinho né

Nossa, o Ringo tem sorte né, entrou bem quando eles tavam quase estourando. Mas voltando, quase no final do show, Pete Best entrou no palco e foi ovacionado pela platéia, que aplaudiu de pé. Dai houve uma minientrevista com ele. A melhor parte foi quando perguntaram:

O que você acha de John Lennon? Pete responde: Um gênio.
O que você acha de Paul Mcartney? Um gênio.
O que você acha de George Harrison? Um gênio.
O que você acha de Ringo Starr? Um bateirista : P

Ele foi muito bem humorado, irônico, não pareceu rancoroso como dizem que ele é, etc. Adorei. Claro que no final do show, ele tocou a bateria no lugar do Ringo Cover em 2 músicas ! E ai pelo menos 1 quarto da banda já não era mais cover, era original : )


Pete Best com The Beats

Pode não ter bola quadrada mas pelo menos tem ovo de páscoa quadrado

Cada páscoa tem uma ou mais novidades em se tratando de ovos de Páscoa. Na Páscoa passada foram várias. Pra começar, o ovo da MTV, um ovo cuja surpresa ao invés de um brinquedo, era o download de uma música. Bizarro né ? Também tinha o ovo Fórmula 1, porque aparentemente Fórmula 1 tem tudo a ver com páscoa, e por fim, a novidade mais legal, da Nestlê que era um ovo que dentro tinha sorvete !

Mas nessa páscoa a novidade é um ovo que certamente o Quico iria querer ganhar do professor Girafales: um ovo quadrado (se bem que chamar de ovo algo quadrado não seria uma contradição?)!

Lançamento da Garoto, que faz uns chocolates bem gostosos, ao contrário da Neugebauer por exemplo

E não, isso não é piada de primeiro de Abril porque eu não suporto esse tipo de brincadeirinha.