Como tirar uma nota alta no TOEFL e TOEIC

Existem milhares de testes que testa a proficiência na língua inglesa, e provavelmente os mais famosos entre eles são o TOEFL e o TOEIC. Ambos foram criados pela empresa norte americana ETS (Educational Test Service).

O interessante em fazes esses testes é o fato de você poder botar a pontuação no seu Curriculum Vitae. Um candidato a uma vaga de emprego que apresenta uma pontuação maior que 100 no TOEFL IBT ganha muito mais credibilidade do que um que simplesmente afirma que tem inglês fluente.

Eu fiz o TOEFL e conheço muitas pessoas que fizeram. Eu posso dizer com segurança que o TOEFL é um exame muito bem feito e que realmente avalia o teu nível de inglês de maneira muito satisfatória. Conheço pessoas que fizeram ele com um intervalo de tempo pequeno e o resultado foi praticamente o mesmo em ambas tentativas (provando que leva tempo pra conseguir melhorar sua pontuação).

Existe uma versão escrita em papel e uma feita no computador. A versão recomendada é a feita no computador, conhecida como TOEFL IBT (internet based test). Aqui em Porto Alegre ele é aplicado no Cultural e na PUC. Esse teste é dividido em 4 partes, cada uma valendo 30 pontos, ou seja, sua pontuação total pode ser 120. As 4 partes são: Escrita (redação no computador), leitura (prova de marcar relativa a interpretação de texto), compreensão oral e a temida parte falada, no qual sua voz é gravada e avaliada depois. Dá pra ver que o TOEFL é um exame que avalia o quanto você consegue se comunicar, ou seja, não é pedido nada de gramática diretamente. Eles não te perguntam o que é Question Tags ou qual o Reported Speech de algo, o que é algo que eu acho muito legal do teste.

Eu fiz o teste ano passado e obtive um resultado muito bom (108 pontos de 120). Essas são as minhas dicas pras 4 partes:

Parte de leitura (reading): Nessa parte é importante ter um vocabulário bom. Como isso não se aprende da noite pro dia, minha dica é se concentrar nas linking words (whereas, thus, therefore, although, however, moreover, etc). Elas ajudam a entender quando o autor está enfatizando, cotrastando ou adicionando idéias, e isso é muito perguntado. Além disso, essas palavras vão lhe ajudar muito na parte escrita, já que elas enriquecem de sobremaneira um texto. Não tem coisa que demonstre mais pobreza de vocabulário que um texto cheio de ‘BUTs’ por exemplo.

Parte escrita (writing): Se você não tem o hábito de ler e escrever, não tem como se sair bem. Nessa parte, até um Americano ou Britânico que lê e escreve pouco vai mal. Eu acho que fui bem por causa do meu hábito de blogar, então, a dica meio óbvia é leia bastante e escreva para conseguir um bom resultado. A curto prazo, a dica é evite palavras que você desconhece, use sinônimos ou diga outra coisa. Se você não sabe se Normally se escreve com um ou 1 ou double L, diga outra coisa com significado similar como Almost Always. Evite perder esse tipo de pontos bobos. Outra coisa, evite construções verbais que você não tem certeza. Por exemplo, não sabe se tem que usar Present Perfect ou Simple Past numa frase? Especifique o momento e use Simple Past, enfim, use sua habilidade para evitar aquilo que você não está 100% certo. E como dito anteriormente, use as linking words para enriquecer seu texto.

Parte de compreensão oral (listening): Essa é a parte que você vai bem se tem o costume de assistir seriados e filmes em inglês. A dica aqui é conseguir anotar rapidinho num papel partes importantes dos diálogos pra conseguir lembrar depois, já que as vezes você até entende tudo, mas o diálogo é tão longo que você esquece certas partes. A parte boa é que os atores dos textos falam bem pausadamente, de forma bem clara.

Parte falada (speaking): A dica aqui é ficar calmo e falar naturalmente. A questão é que você tem algo 30 a 45 segundos pra responder cada pergunta, então além de organizar bem os seus pensamentos e sua resposta, ela tem que caber nesse tempo. Se você falar menos, perde pontos e se falar mais, a gravação é cortada e o avaliador depois não escuta tudo o que você disse, fazendo você perder pontos obviamente. A dica aqui é treinar em casa mesmo, invente perguntas e respostas, leia perguntas e respostas mais comuns na Internet, etc. A dica aqui é a prática mesmo, pra poder evitar os hummmm e gaguejos. Outra coisa é não se preocupe com seu sotaque (accent), ter sotaque não vai prejudicar a sua nota contanto que seu inglês seja claro.

O TOEIC eu não cheguei a fazer, mas é basicamente a mesma idéia do TOEFL. A diferença é a temática dos textos e perguntas. Enquanto no TOEFL eles são todas baseadas em temas do mundo acadêmico, como dois estudantes universitários conversando, o TOEIC é focado no mundo dos negócios (business). Escolha de acordo com seus interesses, se você pretende usar o resultado para se inscrever em algum curso de graduação ou pós-graduação, escolha TOEFL, senão TOEIC.

Ambos os testes são um pouco caros, custam entre 140 e 170 dólares. mas como eu disse, são um atestado de proficiência no seu currículo.

Anúncios

4 comentários sobre “Como tirar uma nota alta no TOEFL e TOEIC

  1. O problema de estudar as linking words é que depois de pouco tempo a gente já sabe a maioria e ainda falta grande parte do texto pra entender :-p

  2. Oi, gostei muito das suas dicas.
    Quero muito fazer o TOEFL, mas acho que ainda não estou bem preparada.
    Eu realmente já estava pensando em adotar o hábito de escrever um texto todos os dias, para me sair bem na parte de writing, acho que não sou muito boa, as outras acho que me sairia bem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s