Uma história de catapora

Esses dias vendo TV fiquei sabendo que tá rolando um surto de Catapora em São Paulo.

Isso me lembrou do como eu peguei essa temida doença, época que não tinha essas facilidades chamada vacina. Quer dizer, talvez até tivesse, mas não a preços acessíveis ou de graça. Eu tinha algo como 9 ou 10 anos e fui passar as férias em Cruz Alta, cidade do interior do Rio Grande do Sul no qual moravam minhas tias e primas.

O problema é que uma delas estava com Catapora.

Como todos sabem, a catapora é uma doença altamente contagiosa, e por causa disso, minha família inteira deixou bem claro: não compartilhem copos, talheres, garfos, nada, absolutamente NADA.

O problema é que eu era uma criança meio tapadinha e não dei muito bola. Aí a minha prima tava comendo uma gelatina saborosa e eu, bem esquecida, peguei uma única colherada.

Vejam bem galera, uma única colheradinha, nada mais. Foi o que bastou pra eu pegar Catapora.

Só que não foi só eu a tapadinha. Essa mesma prima tinha servido um copo de Coca Cola, mas não tomou tudo, e deixou o copo pela metade na geladeira. Meu irmão viu e adivinhem, bebeu. Preciso dizer o resultado de novo?

E depois minha outra prima também pegou catapora, não lembro bem como. Os únicos que nao pegaram foram os adultos da família, felizmente, porque parece que essa doença embora não seja muito preocupante em crianças, é perigosa para adultos.

E foi assim que a catapora se espalhou como fogo em palha seca e eu vi que certas doenças podem ser REALMENTE contagiosas.

Bom, só uma doença contagiosa assim poderia contaminar não apenas toda a vila do Chaves, como até a calça.

Só o Chaves que não, mas isso não vem ao caso.

O fato é que a catapora é daquelas doenças que parecem divertidas olhando nos desenhos animados e no Chaves, as pessoas cheia de manchinhas e tal, mas na vida real não é tão legal, não só por causa da febre mas especialmente a parte da coceira … ai a coceira, enloquecida, por todo o corpo, todo o tempo, toda a hora. Lembro que eu tinha que tomar uns banhos de um negócio vermelho eu acho, era a única maneira pra passar um pouco aquela coceira louca e irritante.

O lado bom de ter pegado catapora é que pelo menos fiquei imunizada (Poliana way of life) e posso ir até pra São Paulo no meio da crise de Catapora que não pego as manchinhas.

Momento cultural: Sabe como é catapora em inglês? Chicken Pox. Nome bisonho né?

E você? Já pegou Catapora, Sarampo, Caxumba ou Rubéola?

Anúncios

3 comentários sobre “Uma história de catapora

  1. Eu tbm peguei catapora, mas pelos 8 anos.
    Sarampo e Rubéola eu fiz vacina e Caxumba nunca peguei. =)
    O nome da coisa vermelha é violeta genciana, um remédio pra qqr tipo de coceira que é usado há muitos anos.
    Lembra que eu pintava meu cabelo que era vermelho, de roxo? Era com isso ;D
    Bjok, otimo post.

  2. Terminar o post com uma pergunta é uma ótima maneira de conseguir comentários :-p

    Se bem me lembro, peguei rubéola e catapora quando era criança, mas não peguei sarampo nem caxumba. Nem me lembro mais dos detalhes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s