Chá arco-íris da alegria

Eu comecei a gostar bastante de chá depois que eu voltei da Índia. Lá na empresa onde eu trabalhava, sempre vinha um mocinho nos dar chazinho ou café no meio do expediente. Eu era a única que pegava tanto o café quanto o chá. Tudo na mímica porque esses carinhas do chá na Índia (os Chai Wallah) são sempre bem pobrezinhos e não falam inglês. Por sinal, era a profissão do Jamal, carinha do filme Quem quer ser milionário (só que ele falava Inglês no filme).

O chá indiano que vendem nas ruas da Índia e que eu tomava era basicamente chá preto, água, um pouco de leite e muiiito açúcar. Muitoooo. Era bem gostoso. Algumas versões tem sementes de cardamomo dentro, uma espécie de pimenta bem gostosinha e que incrivelmente vai bem num chá doce. Algumas versões tinham canela e gengibre também, mas essas não são tão populares.


Copinhos de Chai

Lá dá Índia eu trouxe caixas e caixas de chá preto com o intuito de tomar chai (chai é o chá indiano) sempre que eu estivesse com saudade da minha vida indiana. A Índia é o maior produtor do mundo desse tipo de chá, e eu inclusive visitei lá uma plantação de chá, é bem bonito. Essa fica na cidade de Munnar. Fotinhos pra vocês:


A plantação se estendendo pelas montanhas


Eu numa vibe colheitadora

Embora eu ainda goste muito de chai, acabei acostumando com o sabor amargo do chá preto puro sem açúcar. E quase todo dia, lá vou eu ferver uma chaleira com água, colocar numa térmica, e ficar servindo na minha caneca com o saquinho de chá enquanto acesso Google Reader, escrevo posts e atualizo o Facebook : P

Como sou uma pessoa muito interessada na minha saúde, fui pesquisar se o tal do chá preto não continha malefícios científicos ocultos (cuidado com o espinafre, ele tem muitos, post sobre isso em breve). Minha pesquisa no Google demonstrou que não, o fato é que o negócio é extremamente bom para saúde, melhora a circulação e evita derrames, então fica a dica.

Eu acho engraçado o nome do chá preto ser preto já que a cor do chá pronto não é preta. Mas logo percebi que esse nome baseado em cores é meio sem sentido mesmo, já que na China o nome é chá vermelho. Vejam a classificação:

Todas as cores são feitas com fohas de Camellia sinensis.

1. Chá branco –> folhas jovens que não sofreram oxidação. Popular na China e o mais saudável.
2. Chá verde –> folhas que sofreram pouca oxidação. Popular no Japão.
3. Chá preto (ou vermelho) –> folhas que sofreram muita oxidação. Popular na Índia (e no Ocidente inteiro na real)

Ainda tem o Chá Oolong que é conhecido também por chá Azul. É um chá com uma maturação entre o Chá Verde e o Chá preto. Ooolong também é o nome de um personagem comunista de Dragon Ball, mas isso não vem ao caso.

E pra terminar o arco-íris de cores, tem o chá amarelo, que é um chá verde com uma fase de secagem diferente.

Isso que nem mencionei os chás que não tem cores no meio tipo chá de coca, de cogumelo, de camomila, etc…

O que me leva a pensar que chás são mais complicados que vinho.

Anúncios

Momento sorte no jogo no Uruguai

Além de ter curtido meus 15 minutos de fama que todo mortal terá de acordo com Andy Warhol com meu momento superstar internacional no Uruguai, mais coisas inesperadas aconteceram nessa emocionante viagem. Dessa vez num cassino.

Como já falei em outros posts, apostas só são divertidas em cassinos dos jogo Vegas Stakes, Sonic 2 ou bingos de praia. Mesmo assim, decidi dar aquela jogadinha básica no cassino, só pra dar aquela saciada no pequeno vício em jogatina que eu tenho.

Chegando lá, comprei 20 pesos uruguaios para apostar, o que corresponde a algo como 2 reais.

A ideia original era jogar nos caça-niqueis, mas como nenhum deles era aqueles old-school, com a maçaneta, resolvi aposta na roleta mesmo.

O problema é que a roleta era eletrônica, isto é, tinha que usar um computadorzinho para apostar nos números. E bem, eu não estava me entendendo muito bem com o computador. Estava eu tentando apostar, quando meio que sem querer apostei no número 5.

Puta da cara que não conseguia mudar, já xingando o computador de todos os nomes que eu podia pensar, a roleta gira.

Rola roleta !!!

Enquanto a roleta rola, essa música começa a tocar em meus pensamentos:

Bom, como a vida as vezes é um filmes, adivinhem o número que saiu? Três ? Sete ? Oito ?

Se fosse qualquer um desses esse post não existiria.

Óbvio que saiu o número 5, contrariando todas as expectativas.

Sério, eu fiquei tão pasma que não acreditei que aquilo era possível. Pensei com meus botões: quais são as probabilidades de isso acontecer ? É impossível !!!

Intervenção !!!

De acordo com o matemático Oswald de Souza, as probabilidades são de 1/38 dado que temos 36 números, mais o 0 e o 00. Portanto, não é impossível, embora um pouco improvável.

Fim da intervenção.

Meu prêmio foi de nada menos do que 720 pesos uruguaios, isto é, 36 vezes o valor apostado. Graças ao prêmio, recebi 720 pesos, em outras palavras, 72 reais.

Como eu sabia que nada podia ser mais épico do que acertar o número de primeira, decidi sabiamente parar de jogar.

Na realidade eu também tinha decidido parar de jogar porque eu não sabia mexer direito no computador da roleta, e estava com medo de sem querer apostar 720 pesos em outro número aleatório qualquer. Mas o primeiro motivo tá mais legal, então vamos se ater a ele.

E fica a pergunta, sorte no jogo, azar no amor?

Momento superstar internacional vivenciado por mim no Uruguai

Em Março eu participei de uma excursão para o Uruguai. A viagem foi super legal, conheci várias cidades (Montevideo, Punta del Este, Piriapolis, Colônia del Sacramento) e ainda por cima não gastei muito, já que foi de ônibus e fiquei em albergue lá (quem quiser ir também, vá pelas excursões universitárias, recomendo muito).


Casa Pueblo, museu de Punta del Este


Monumento ao General Artigas, em Montevideo

A questão é que até eu decidir e ir nessa excursão, muitos percalços foram vencidos, desde o desafio de conseguir folga do trabalho até falta de vagas na excursão. Mas o mais desafiador foi o fato de que, apesar da minha grande vontade de viajar, meus amigos todos não se intere$$aram o suficiente. Ai numa vibe Avril Lavigne, pensei, What the Hell, vou sozinha mesmo, na pior das hipóteses vou ter 4 dias de pura solidão no estrangeiro : P

Mas felizmente, logo no início da excursão fiz amizade com 2 pessoas que tavam viajando sozinhas também, o Roberto e a Angela, e não fiquei sozinha nem um segundo. Às vezes vale a pena arriscar.

O engraçado foi que numa das paradas da excursão, vivenciei meu primeiro momento superstar, em terras além dos limites de nossa pátria amada Brasil. Estava eu em uma casa de câmbio tentando trocar reais por pesos uruguaios, logo no primeiro dia de excursão, quando uma pessoa me aborda, em português:

Pessoa desconhecida: Oi. Tu por acaso é a Mariane, do bitpop.info?
Eu com cara de incrédula: Sim, como tu sabe?
Pessoa desconhecida: É que eu sempre leio teu blog, apesar de não comentar muito.

Foi o que bastou para que a Angela e o Roberto achassem que eu fosse dona de um blog que recebia milhões de visitas diárias : P

Só não foi mais glamour porque isso aconteceu na praia de Piriapolis e não em Punta del Este.

Ah sim, a pessoa desconhecida era o Jezer, leitor super querido do blog : )

Top 10 Desenhos mais legais do SBT

Hoje em dia o SBT tá semifalido, ninguém assiste e tal. Mas há 15 anos, um pouco mais talvez, o SBT era o canal da criançada. Não só por causa de Chaves, Bozo e tudo mais, mas pela grande quantidade de desenhos de qualidade que ele transmitia. Bons tempos que a TV aberta dava mais atenção pras crianças, hoje desenhos competem com programas de culinária na manhã, ninguém merece. A Globo tem seus clássicos tipo He-Man, Caverna do Dragão e Thundercats, mas eu, indie desde criança sempre fui muito mais SBT.

Chega de conversa fiada, ai vão os meus 10 favoritos.

1. Ducktales: O meu favorito de longeeeeeeeeeee. adorava as aventuras, a temática de viagens, de tesouros perdidos, essas coisa bem Indiana Jones, fora os personagens lendários como RoboPato e Capitão Boing.

2. Doug: Doug era um desenho bem prosaico e tal, só que tinha uns personagens meio bizarros legais tipo o Skiter que era verde. Era um traço estranho, mas as histórias eram legais, contadas em primeira pessoa as vezes. Marcou. Eu sempre me senti meio que a descobridora do desenho porque eu gostava dele bem antes de fazer sucesso e ficar popular, quando ainda passava na TV Cultura.


Cosplay de Skiter

3. O Fantástico mundo de Bob: focado na vida de Bob, um garotinho de 4 anos que tem uma imaginção muito, mas muito louca. Sempre me identifiquei com a imaginação louca dele porque minha idade mental é a mesmaa minha imaginação é exatamente assim, às vezes basta algo muito simples pra eu começar a viajar na batatinha beeeemmm bonito. E eu nunca entendi direito o pai do Bob, ele aparecia como personagem de carne osso no começo dos episódios, sempre me perguntei porque. Ele era famoso por acaso (nem que fosse só nos EUA)?

4. Cavalo de Fogo: Bastaram 12 episódios pra entrar na lista e ganhar post próprio.

5.Ursinhos Carinhosos: Mereceu post próprio[2]

6. Dênis, o pimentinha: Não sei se era só eu, mas eu não gostava do Dênis. Tipo, o desenho era legal, mas o personagem em si me desagrava, isso porque eu tinha pena do Sr. Wilson. Ás vezes o Dênis chegava a ter requintes de crueldade, e eu, criança comportada, desaprovava aquilo. Curtia mais pelos outros personagens, tipo o cachorro Ruffos e a mala da Margarida.

7. Muppets Babies: Nem preciso explicar de tãoooo clássico né.

8. Os Fantasmas: Adorava esse desenho, mas não fez muito sucesso eu acho porque ninguém lembra. Nem eu direito. A abertura era bem divertidinha, sente só.

9. Popples: Nunca entendi direito a moral, mas era umas bolinhas coloridas que pulavam e aprontavam altas confusões. Pergunta que não cala: Seriam eles os precursores de Pokémon?

10. Nossa Turma (Get Along Gang): Era um monte de animalzinho antropomórfico diferente, sendo o principal um viadinho. E eles moravam num trem. A abertura eu gosto de cantar até hoje, embora eu cantasse na época dos meus 10 anos ou menos como a Solange de BBB cantava We are the World.


IARNUOU!

Menção Honrosa -> Punky: O desenho era mil níveis inferior a série, mas não deixava de ter seus méritos. Pergunta recorrente na época era saber o que veio primeiro, o ovo ou a galinha o desenho ou a série.

Menção honrosa 2 -> Inspetor Bugiganga: Era trizinho também né?

Menção honrosa 3 -> É tanto desenho bom que fico botando menção honrosa sem parar, ad infinitum, mas claro, Pica Pau. E Tom e Jerry, etc. Vocês lembram de mais algum desenho lendário?

7 Clipes que eu gosto

Tava assistindo uns clipes e resolvi postar 7 deles que eu gosto muito (não necessariamente os melhores ever).

1. Franz Ferdinand -> Can’t stop feeling -> A montagem do clipe é ótima. Conheci o clipe pela Bruna.

2. Foo fighters -> Walking after you -> A Tati do respeite meus mullets fez eu conhecer esse clipe. Acho ele tão love.

Link aqui porque o youtube não deixa colocar direto no blog.

3. Placebo -> Bitter End -> Adoro quando tá tudo explodindo ! Também gosto bastante do clipe de This picture, ambas músicas do cd Sleeping with Ghost.

4. Blur -> Coffee and TV -> Quem não simpatiza com a história dessa caixinha de leite?

<

5. Crazy -> Aerosmith -> Inspirado no filme Thelma e Louise. A Liv Tyler e a Alicia Silverstone estão muito novinhas e bonitas nesse clipe.

6. White stripes -> The hardest button to button -> Eles tem muitos clipes bons, mas meu favorito é esse. Os Simpsons até fizeram uma homenagem a esse clipe. Dirigido por Michael Gondry, o diretor de Brilho eterno de uma mente sem lembranças.

7. Bon Jovi -> Misunderstood -> A historinha improvável e o final são ótimos. Link aqui.

.
.
.

E vocês? Algum clipe legal pra recomendar?

Tudo que você queria saber sobre os Ursinhos Carinhosos mas tinha vergonha de perguntar

Hoje vamos falar desse amado desenho que passou durante muitos anos no SBT. Basicamente, é um desenho sobre ursos falantes com desenhos na barriga que moram numa grande nuvem no céu e de tempo em tempo vão pra Terra pra fazer bondades (falando assim pareceu tão retardado…) mas enfim, qual desenho não parece tosco explicando em poucas palavras?

Embora o desenho se chamasse Ursinhos Carinhosos, o fato é que não existiam apenas ursinhos. Tinha também outros animais, tipo o Valente, uma espécie de leão. Pra mim isso foi sempre uma deturpação, uma espécie de propaganda enganosa. Nunca entendi bem o porque do nome do desenho ser ursinhos carinhosos se não eram todos ursinhos. Não era mais fácil e HONESTO chamar o desenho de Animalzinhos Carinhosos ? Pelo menos todos eram carinhosos, nessa parte não fomos enganados.

Uma coisa que era legal que eles usavam carrinhos em forma de nuvens, bem na real quase tudo nesse desenho era em forma de nuvem. O mundo que os ursinhos/bichos moravam era muito feliz e meigo, tinha até olimpíadas e coisas do tipo. Era um desenho bem educativo, sem violência, só paz e amor e tal.

E esse desenho era meio que um prelúdio de Pokémon, e a grande mania era colecionar os bonequinhos dos ursinhos, graças a minha tia, eu tive váriosss, ela sempre me dava um quando me visitava em Porto Alegre, os meus favoritos eram o azul que tinha uma nuvenzinha na barriga porque sei lá, ele tinha uma carinha meio sorumbática, coisa mais meiga e o verdinho que tinha um trevo de quatro folhas na barriga. Eu nunca fiquei sabendo ao certo quantos eram no total, de certo devia ser uns 150 (150 ou mais para a gente ter, um mestre pokémon é o que eu quero ser).

O grande rival era Coração Gelada. Coração Gelada era um cara realmente evil, que tentava fazer várias maldades. A redundância foi necessária porque o cara era mal. Eu não lembro bem qual era a sua motivação, acho que era só pelo puro prazer de fazer maldade mesmo, sabe né, pelo puro prazer de avacalhar, tipo na mesma motivação dos trolls hoje existentes na internet. Talvez Coração gelada fosse um pedófilo frustrado, e isso explicasse essa sua irá descontrolada especialmente em relação as crianças, vai saber né?

Mas Coração Gelado não trabalhava sozinho, ele tinha seus lacaios. Eles eram Laura e Malvado. Esses já não eram tão evils, mas eram do mal também, embora muito atrapalhados.


Faz o Voldemort até parecer legal

Infelizmente, pra não perder o costume, o SBT nunca exibiu o episódio final dessa série, sabe-se lá porque. Talvez para manter o mistério sobre quem venceria a grande batalha entre Coração Gelado e os Ursinhos : P

Uma história de catapora

Esses dias vendo TV fiquei sabendo que tá rolando um surto de Catapora em São Paulo.

Isso me lembrou do como eu peguei essa temida doença, época que não tinha essas facilidades chamada vacina. Quer dizer, talvez até tivesse, mas não a preços acessíveis ou de graça. Eu tinha algo como 9 ou 10 anos e fui passar as férias em Cruz Alta, cidade do interior do Rio Grande do Sul no qual moravam minhas tias e primas.

O problema é que uma delas estava com Catapora.

Como todos sabem, a catapora é uma doença altamente contagiosa, e por causa disso, minha família inteira deixou bem claro: não compartilhem copos, talheres, garfos, nada, absolutamente NADA.

O problema é que eu era uma criança meio tapadinha e não dei muito bola. Aí a minha prima tava comendo uma gelatina saborosa e eu, bem esquecida, peguei uma única colherada.

Vejam bem galera, uma única colheradinha, nada mais. Foi o que bastou pra eu pegar Catapora.

Só que não foi só eu a tapadinha. Essa mesma prima tinha servido um copo de Coca Cola, mas não tomou tudo, e deixou o copo pela metade na geladeira. Meu irmão viu e adivinhem, bebeu. Preciso dizer o resultado de novo?

E depois minha outra prima também pegou catapora, não lembro bem como. Os únicos que nao pegaram foram os adultos da família, felizmente, porque parece que essa doença embora não seja muito preocupante em crianças, é perigosa para adultos.

E foi assim que a catapora se espalhou como fogo em palha seca e eu vi que certas doenças podem ser REALMENTE contagiosas.

Bom, só uma doença contagiosa assim poderia contaminar não apenas toda a vila do Chaves, como até a calça.

Só o Chaves que não, mas isso não vem ao caso.

O fato é que a catapora é daquelas doenças que parecem divertidas olhando nos desenhos animados e no Chaves, as pessoas cheia de manchinhas e tal, mas na vida real não é tão legal, não só por causa da febre mas especialmente a parte da coceira … ai a coceira, enloquecida, por todo o corpo, todo o tempo, toda a hora. Lembro que eu tinha que tomar uns banhos de um negócio vermelho eu acho, era a única maneira pra passar um pouco aquela coceira louca e irritante.

O lado bom de ter pegado catapora é que pelo menos fiquei imunizada (Poliana way of life) e posso ir até pra São Paulo no meio da crise de Catapora que não pego as manchinhas.

Momento cultural: Sabe como é catapora em inglês? Chicken Pox. Nome bisonho né?

E você? Já pegou Catapora, Sarampo, Caxumba ou Rubéola?