Eu vivi o período da Leomania

Quando o filme Titanic estourou no final de 1997, um fenômeno iniciou: a Leomania. É sério, acho que nenhum outro ator gerou tanto fanatismo entre as adolescentes como Leonardo Dicaprio. Era tanto fanatismo, que ele chegou a ser comparado a James Dean, um ator jovem,bonito e talentoso que causou frisson entre as garotas dos anos 50 e que morreu no auge da carreira.


Protagonista de Juventude Transviada, que é clássico e é chato

Eu com meus 13 anos na época, não escapei, e também segui a Leomania: assisti quase todos os filmes que ele tinha feito até então. Desde Gilbert Grape, em que ele interpreta um retardado até Romeu e Julieta. A Capricho e Atrevida ganharam um dinheirão de tanto que DiCaprio fez vender essas revistas.

Também decorei na época, várias informações sobre ele. Uma que eu lembro até hoje foi a origem de seu nome. Segundo a lenda, sua mãe o batizou com esse nome (meio incomum nos EUA) porque quando sentiu o primeiro chute do bebê, ela estava apreciando a obra Monalisa de Leonardo da Vinci.


Versão Lego

Logo após os o sucesso astronômico de Titanic, ele fez O homem da máscara de ferro, que nem era tão ruim, mas aquele cabelo comprido horrível que ele usava fez eu não gostar do filme na época.

Depois ele fez o filme A praia que por causa da temática envolvendo drogas, fez a idade miníma aconselhável para assistir o filme ser 18 anos. Na época eu tinha menos, mas queria ver o filme assim mesmo. Como eu já tinha ido assistir um pouco antes ao filme 8 mm com Nicolas Cage, que tem a mesma classificação etária e não tinha sido barrada pelo cinema, achei que não haveria problema em ir assistir A praia. Ledo engano. Como de certo muitas adolescentes foram tentar assistir, os cinemas ficaram mais de olho, e como consequência, fui barrada na hora de comprar o ingresso. Decepção total.


8mm é duzentas vezes mais pesado que A praia e deixaram eu ver, vai entender

Nessa época de Leomania, os meninos inconformados com o fato de tanta admiração em cima dele, ficavam pregando que ele era gay, especialmente por causa do beijo homossexual no filme Eclipse de uma paixão, em que Leo interpreta o poeta francês Paul Verlaine, ou o Rimbaud, não lembro. Como fã dele, sempre dizia que não, e felizmente o tempo comprovou que não era mesmo.


Um dos primeiros filmes de DiCaprio

Na época, namora-lo era o sonho impossível de toda garota daquela faixa etária, no mundo todo. Especialmente porque Leonardo DiCaprio fazia o estilo solteirão convicto, tal como o George Clooney, ex-Batman.


Ele não usa aliança

E o que aconteceu, foi que quem namorou ele no fim das contas foi uma brasileira. Gisele Bundchen realizou o sonho de uma legião de fanáticas.


Cerimônia do Oscar

Atualmente ele namora Bar Rafaeli, uma modelo israelense chata.

Hoje em dia ainda gosto do ator, embora já não ache mais ele muito bonito. E continuo assistir a maior parte de seus lançamentos, mesmo ele fazendo um monte de bomba com Martin Scorcese.

E sou mais uma das pessoas que está esperando por Revolutionary Road, de Sam Mendes (do ótimo Beleza Americana), o filme em que Leo e Kate Winslet voltam a contracenar juntos.

Como aprendi que loteria não dá dinheiro

Quando eu era criança, quase todo verão eu ia para uma famosa e agradável praia aqui do Rio Grande do Sul. Lá, eu ficava numa colônia de férias muito legal. Nela, semanalmente, tinha um jogo de bingo. Mas tipo, era aqueles bingos familiares sabe, sem fins lucrativos, que tu marca os número com milho ou feijão, prêmios baixos, e especialmente, brincadeirinhas divertidas tais como:

  • Dois patinhos na lagoa (22)
  • Violão sem braço (8)
  • A idade de cristo (33)
  • A idade da menina moça (15)
  • Começou o bingo (1)

Eu adorava as noites de bingo. Teve até uma lendária vez que faltou luz e teve guerrinha de milho e feijão.

Só que quando eu tinha uns 12 anos começamos a ir para Santa Catarina. E lá tinha um parque de diversões daqueles precários. E nesse parque tinha várias coisas de apostar dinheiro totalmente ilegais e que sim, tinham fins lucrativos. Um dos jogos era a roleta. Mas não exatamente igual a roleta dos cassinos de verdade. Era uma roleta, onde tinha 2 cores. Você escolhia uma cor, e se ela saisse ganhava o dobro da aposta. Claro, para o meliante a banca ter mais vantagem e não meros 50%, tinha também uma terceira cor que aparecia numa frequência bem menor. Nessa cor ninguém ganhava ou algo assim.

Como as apostas eram baixas, a partir de 1 real, e pelo fato de ser ilegal, você não precisava ter 18 anos para participar, eu me empolguei e fui jogar. Ganhei a primeira. Total emoção. Ganhei a segunda, só que depois, óbvio, eu perdi tudo. Tudo é uns 50 reais, o que era uma fortuna para uma criança de 12 anos. Era praticamente todo dinheiro que eu tinha para os 15 dias de praia. Claro, depois contei pros meus pais e eles me xingaram total.

E foi assim que aprendi que não devemos jogar esperando lucro, a menos que você participe de um grupo de matemáticos que usa probabilidades para ganhar no jogo 21.

E que jogos desse tipo só são realmente divertidos no video game, especialmente em Vega Stakes para Super Nintendo, o melhor jogo de cassino de todos os tempos. Nesse jogo, você começa como um pobretão e vai subindo na vida, quebrando a banca de vários cassinos, cada vez mais luxuosos, super legal.

Ah sim, e também ganhando anéis extras nos caça-níqueis da fase Casino Night de Sonic 2.

Quebrando a Banca: vire milionário sem trapacear

No filme Quebrando a banca um professor mais um grupo de estudantes geniozinhos do MIT (a faculdade que o Tony Stark se formou) decidem formar um grupo que estuda probabilidade no jogo de origem francesa BlackJack (também conhecido como 21) com o intuito de faturar uma grana em cassinos de Las Vegas.

Uma coisa que pode surpreender é o fato de Blackjack não ser baseado apenas em sorte. Tipo, eu já sabia que existia jogadores experientes em poker por exemplo que sempre ganham e tal porque sabem blefar muito bem (sabia por causa daquele filme com o Matt Damon, Cartas na mesa, que é bom, mas não tanto quanto esse). Mas agora como usar probabilidades em Blackjack ?

Embora o filme não explique a técnica em detalhes, até porque ficaria meio enfadonho, o que eles explicam já é uma bela amostra de como ela funciona.

Se for possível, sugiro que assistam ao dvd ao invés de baixar, porque em um dos extras, O jogador em vantagem, os atores explicam melhor e de uma maneira bem interessante as táticas, propostas em um artigo do matemático Roger Baldwin em 1956. A tática se chama Basic Strategy (Estratégia Básica), e consiste, em primeiro, decorar a tabela abaixo.

Contudo, essa tabela não vai ter dar mais do que 49% de chances de vencer. Entretanto, existe uma maneira em que você pode chegar a ter impressionantes 99%. Como ? Contando cartas.

Nas mesas de Blackjack, após uma rodada, as cartas usadas não são remisturadas. Por isso os cassinos em geral utilizam até 8 baralhos, para ter bastante cartas. Mas ai que está o furo: se você lembrar de todas as cartas que sairam, dá pra ter uma boa idéia das suas chances de ganhar. Por exemplo, se você sabe que a maior parte das cartas do montinho são cartas altas como figuras (figuras valem 10 pontos) já que as outras cartas de valor baixo já sairam, e a banca está com uma carta baixa tipo 4, você tá com uma super chance de ganhar, já que as próximas cartas vão ou fazer a banca ter um 14, ou fazer ela ultrapassar 21 caso ele peça uma terceira carta.


Memorizando

Só que aí entra um outro problema, com vou decorar tanta carta pra saber que aquela mesa tá quente !? Pois então, uma técnica chamada Plus 1 Minus 1 Balance System (Sistema de equilíbrio +1 -1) entra em cena. Você não precisa decorar cada carta que saiu, só precisa ir decrementando e incrementando uma váriavel de acordo com as cartas que vão aparecendo.

  • Cartas com valores de 2 a 6 incrementam a variável.
  • Cartas com valores de 7 a 9 são neutras e não mudam a variável.
  • Demais cartas são decrementam a váriavel.

Se a sua váriavel estiver maior que +10 é bom sinal.

No filme, tem dois dois tipos de jogadores, os olheiros e os grandes apostadores (caso do protagonista, o Jim Sturgess), Os olheiros vão chegar nas mesas e fazer apostas baixas. Eles ficarão na mesa contando cartas até notarem que a mesa ficou quente (variável igual ou maior que +10, ou seja, tem muita carta de valor alto no montinho). Quando isso acontecer, a pessoa vai fazer um sinal, que no filme, é cruzar os braços atrás da cadeira. Ai o jogador conhecido como grande apostador vai lá e faz apostas altas e quebra a banca.


Contas e mais contas

Claro, tem alguns incovenientes. Primeiro, Por causa da distribuição de probabilidades, é comum as mesas ficarem sempre com a contagem ao redor de zero, portanto, é difícil uma mesa ficar quente, tem que jogar bastante até uma aparecer. Segundo, você tem que ser um bom contador. No filme, os caras gênios ficam dias treinando. Terceiro, embora não seja ilegal contar as cartas, se o cassino descobrir eles tem o direito de te banir do cassino (e apesar de não terem direito, em geral também te enchem de soco).

Top 7 animes mais relevantes do Brasil

1. Cavaleiros do Zodiaco: O primeiro anime a fazer um sucesso ENORME. Goste ou não goste, a importância dele na história do anime no Brasil e entre os otakus brasileiros é inquestionável.

2. Sailor Moon: o primeiro shoujo anime a fazer sucesso no Brasil. Graças a ele vieram depois guerreiras mágicas de Rayearth no SBT. Foi o primeiro anime direcionado ao público feminino (embora tivesse vários fãs homens).

3. Pokémon: Depois de Cavaleiros, veio Yu Yu Hakusho, e depois, a Manchete, grande provedora de animes, faliu. Consequência: marasmo total. Isso até chegar Pokémon, que repetiu uma febre no mesmo nível de Caveleiros.

4. Neon Genesis Evangelion: Nunca passou na tv aberta, mas graças aos fansubbers, muita gente viu. Roteiro intrincado, misterioso e complexo. Provou que animes podem alcançar o nível de arte. Post sobre aqui.

5. Dragon Ball Z: Logo depois do sucesso de Pokémon apagar, veio esse anime, que só veio a fazer sucesso mesmo na sua fase Z, quando o humor é deixado de lado em prol das lutas, muito bem conduzidas. Outro anime, que ao lado de Pokémon, conseguiu repetir o sucesso de Cavaleiros.

6. Death Note: Anime que ficou famoso graças a Internet. Graças a Internet banda larga e as taxas cada vez maiores de compressão, disponibilizar animes ficou muito mais fácil do que no tempo dos fansubbers. Acabou sendo lançado em mangá, e parece que em breve vai passar na TV fechada. Mais aqui.

7. Naruto: Outro anime que se popularizou antes mesmo de passar na TV aberta. Agora é febre.

Detetive e outros jogos deturpados pela Estrela

Ok, talvez a notícia seja velha, mas eu fiquei chocada ao ver e preciso dividir com vocês: o tradicional jogo Detetive da Estrela foi totalmente deturpado.

Antes, um adendo, se você nunca jogou Detetive, você não teve infância, pare tudo e vá na loja comprar um pra você, mesmo que seja essa versão deturpada horrível, que eu logo explicarei.

Foi assim que aconteceu: estava eu passeando no mercado, afinal, adoro descobrir as novidades lançadas feitas para atiçar meu lado consumista. Durante o passeio, passei pela seção infantil, porque, embora eu tenha 24 anos na cara, jogos de tabuleiro e bonequinhos sempre serão o máximo.

Nisso, vi que a capa do jogo Detetive estava diferente. Fui lá ler o verso da caixa. Na sinopse do jogo noto que os personagens mudaram de nome. Se você bem lembra desse clássico, sabe que nesse jogo, todos os suspeitos tem nomes de cores: Coronel Mostarda, Dona Branca, Dona Violeta, Professor Black, Sr. Marinho e Srta. Rosa.

É, só que agora, as pessoas tem nomes normais. De gente normal. Isso é simplesmente inconcebível.

Vejam os nomes: Tony Gourmet, James, Sérgio Soturno, Dona Margarida, Rebecca Salão, César Hipólito, dra. Sara e Soraya.

Os lugares onde ocorriam os crimes também mudaram Espero que pelo menos não tenham alterado as armas clássicas: candelabro, cano, chave inglesa, corda, faca e revólver. Eu sempre ficava imaginando que crimes horríveis podiam ser feitos com um candelabro.

Pior que esse Detetive deturpado, é o detetive júnior. O detetive júnior é um jogo igualzinho a versão “adulta”, só que para as crianças não se chocarem com os crimes e tal, ou para os pais politicamente corretos, nessa versão, ao invés de solucionar um crime, temos que descobrir qual bichinho de estimação da vizinhança escondeu qual brinquedo em qual lugar (!). Credo.

Já que estamos falando de detetive júnior, eu nunca entendi a moral do Banco Imobiliário Júnior. Porque mudar as ruas de lugar torna o jogo mais fácil ?!?! É a única diferença, não é ?

Mas voltando ao assunto original, já bastava a Estrela ter avacalhado outro jogo super legal: Combate. Combate é aquele jogo onde só o Cabo Armeiro desarma as bombas, só o espião mata o marechal, e o objetivo é pegar a bandeira ! Na versão clássica, as pecinhas representando os militares eram desenhos sérios e bem feitos, agora são umas caricaturas horrorosas.


Novo combate

Por isso, fica aí um apelo: Estrela, pare de destruir os jogos. Clássicos não são para ser alterados. Usem sua criatividade para criar coisas novas.

Grata.

Chocolates de luxo

Se tem uma coisa que eu gosto é chocolate. Dentre os chocolates vendidos normalmente por ai, o meu favorito é o Ferrero Rocher. Eu gostava muito do Kit Kat também, mas infelizmente não é mais vendido em terrinhas tupiniquins.

Ultimamente, tenho curtido também chocolate com mais cacau. Embora não sejam muito docea, alguns, especialmente, Hershey’s special dark, são bem gostosos.

Mas existe ainda uma terceira categoria de chocolates: os chocolates de luxo. São chocolates de marcas como Lindt, Kopenhagen e Cacau Show.

A Cacau Show tem alguns bombons realmente muito gostosos. Especialmente um chamado de Holandesa. Já a Lindt, é uma marca estrangeira excelente, em geral, é vendido na forma de barrinhas de chocolate. O meu favorito é o com pistache dentro. Pena que a tal barrinha custa exorbitantes 15 reais.

Mas o post é pra comentar mesmo sobre a Kopenhagen. O único chocolate que eu tinha provado de lá é a Nha Benta. É gostosinha, mas definitivamente não vale o preço que custa e todo o blá blá blá em cima.

Ontem provei mais uma iguaria dessa marca. Comprei uma barra de chocolate chamada de chocolate belga. É beeeem doce, mas é bom, não tem gosto de vela como certos chocolates.

E vocês, qual o chocolate favorito ?