7 Clipes que eu gosto

Tava assistindo uns clipes e resolvi postar 7 deles que eu gosto muito (não necessariamente os melhores ever).

1. Franz Ferdinand -> Can’t stop feeling -> A montagem do clipe é ótima. Conheci o clipe pela Bruna.

2. Foo fighters -> Walking after you -> A Tati do respeite meus mullets fez eu conhecer esse clipe. Acho ele tão love.

Link aqui porque o youtube não deixa colocar direto no blog.

3. Placebo -> Bitter End -> Adoro quando tá tudo explodindo ! Também gosto bastante do clipe de This picture, ambas músicas do cd Sleeping with Ghost.

4. Blur -> Coffee and TV -> Quem não simpatiza com a história dessa caixinha de leite?

<

5. Crazy -> Aerosmith -> Inspirado no filme Thelma e Louise. A Liv Tyler e a Alicia Silverstone estão muito novinhas e bonitas nesse clipe.

6. White stripes -> The hardest button to button -> Eles tem muitos clipes bons, mas meu favorito é esse. Os Simpsons até fizeram uma homenagem a esse clipe. Dirigido por Michael Gondry, o diretor de Brilho eterno de uma mente sem lembranças.

7. Bon Jovi -> Misunderstood -> A historinha improvável e o final são ótimos. Link aqui.

.
.
.

E vocês? Algum clipe legal pra recomendar?

Anúncios

Tudo que você queria saber sobre os Ursinhos Carinhosos mas tinha vergonha de perguntar

Hoje vamos falar desse amado desenho que passou durante muitos anos no SBT. Basicamente, é um desenho sobre ursos falantes com desenhos na barriga que moram numa grande nuvem no céu e de tempo em tempo vão pra Terra pra fazer bondades (falando assim pareceu tão retardado…) mas enfim, qual desenho não parece tosco explicando em poucas palavras?

Embora o desenho se chamasse Ursinhos Carinhosos, o fato é que não existiam apenas ursinhos. Tinha também outros animais, tipo o Valente, uma espécie de leão. Pra mim isso foi sempre uma deturpação, uma espécie de propaganda enganosa. Nunca entendi bem o porque do nome do desenho ser ursinhos carinhosos se não eram todos ursinhos. Não era mais fácil e HONESTO chamar o desenho de Animalzinhos Carinhosos ? Pelo menos todos eram carinhosos, nessa parte não fomos enganados.

Uma coisa que era legal que eles usavam carrinhos em forma de nuvens, bem na real quase tudo nesse desenho era em forma de nuvem. O mundo que os ursinhos/bichos moravam era muito feliz e meigo, tinha até olimpíadas e coisas do tipo. Era um desenho bem educativo, sem violência, só paz e amor e tal.

E esse desenho era meio que um prelúdio de Pokémon, e a grande mania era colecionar os bonequinhos dos ursinhos, graças a minha tia, eu tive váriosss, ela sempre me dava um quando me visitava em Porto Alegre, os meus favoritos eram o azul que tinha uma nuvenzinha na barriga porque sei lá, ele tinha uma carinha meio sorumbática, coisa mais meiga e o verdinho que tinha um trevo de quatro folhas na barriga. Eu nunca fiquei sabendo ao certo quantos eram no total, de certo devia ser uns 150 (150 ou mais para a gente ter, um mestre pokémon é o que eu quero ser).

O grande rival era Coração Gelada. Coração Gelada era um cara realmente evil, que tentava fazer várias maldades. A redundância foi necessária porque o cara era mal. Eu não lembro bem qual era a sua motivação, acho que era só pelo puro prazer de fazer maldade mesmo, sabe né, pelo puro prazer de avacalhar, tipo na mesma motivação dos trolls hoje existentes na internet. Talvez Coração gelada fosse um pedófilo frustrado, e isso explicasse essa sua irá descontrolada especialmente em relação as crianças, vai saber né?

Mas Coração Gelado não trabalhava sozinho, ele tinha seus lacaios. Eles eram Laura e Malvado. Esses já não eram tão evils, mas eram do mal também, embora muito atrapalhados.


Faz o Voldemort até parecer legal

Infelizmente, pra não perder o costume, o SBT nunca exibiu o episódio final dessa série, sabe-se lá porque. Talvez para manter o mistério sobre quem venceria a grande batalha entre Coração Gelado e os Ursinhos : P

Como tirar uma nota alta no TOEFL e TOEIC

Existem milhares de testes que testa a proficiência na língua inglesa, e provavelmente os mais famosos entre eles são o TOEFL e o TOEIC. Ambos foram criados pela empresa norte americana ETS (Educational Test Service).

O interessante em fazes esses testes é o fato de você poder botar a pontuação no seu Curriculum Vitae. Um candidato a uma vaga de emprego que apresenta uma pontuação maior que 100 no TOEFL IBT ganha muito mais credibilidade do que um que simplesmente afirma que tem inglês fluente.

Eu fiz o TOEFL e conheço muitas pessoas que fizeram. Eu posso dizer com segurança que o TOEFL é um exame muito bem feito e que realmente avalia o teu nível de inglês de maneira muito satisfatória. Conheço pessoas que fizeram ele com um intervalo de tempo pequeno e o resultado foi praticamente o mesmo em ambas tentativas (provando que leva tempo pra conseguir melhorar sua pontuação).

Existe uma versão escrita em papel e uma feita no computador. A versão recomendada é a feita no computador, conhecida como TOEFL IBT (internet based test). Aqui em Porto Alegre ele é aplicado no Cultural e na PUC. Esse teste é dividido em 4 partes, cada uma valendo 30 pontos, ou seja, sua pontuação total pode ser 120. As 4 partes são: Escrita (redação no computador), leitura (prova de marcar relativa a interpretação de texto), compreensão oral e a temida parte falada, no qual sua voz é gravada e avaliada depois. Dá pra ver que o TOEFL é um exame que avalia o quanto você consegue se comunicar, ou seja, não é pedido nada de gramática diretamente. Eles não te perguntam o que é Question Tags ou qual o Reported Speech de algo, o que é algo que eu acho muito legal do teste.

Eu fiz o teste ano passado e obtive um resultado muito bom (108 pontos de 120). Essas são as minhas dicas pras 4 partes:

Parte de leitura (reading): Nessa parte é importante ter um vocabulário bom. Como isso não se aprende da noite pro dia, minha dica é se concentrar nas linking words (whereas, thus, therefore, although, however, moreover, etc). Elas ajudam a entender quando o autor está enfatizando, cotrastando ou adicionando idéias, e isso é muito perguntado. Além disso, essas palavras vão lhe ajudar muito na parte escrita, já que elas enriquecem de sobremaneira um texto. Não tem coisa que demonstre mais pobreza de vocabulário que um texto cheio de ‘BUTs’ por exemplo.

Parte escrita (writing): Se você não tem o hábito de ler e escrever, não tem como se sair bem. Nessa parte, até um Americano ou Britânico que lê e escreve pouco vai mal. Eu acho que fui bem por causa do meu hábito de blogar, então, a dica meio óbvia é leia bastante e escreva para conseguir um bom resultado. A curto prazo, a dica é evite palavras que você desconhece, use sinônimos ou diga outra coisa. Se você não sabe se Normally se escreve com um ou 1 ou double L, diga outra coisa com significado similar como Almost Always. Evite perder esse tipo de pontos bobos. Outra coisa, evite construções verbais que você não tem certeza. Por exemplo, não sabe se tem que usar Present Perfect ou Simple Past numa frase? Especifique o momento e use Simple Past, enfim, use sua habilidade para evitar aquilo que você não está 100% certo. E como dito anteriormente, use as linking words para enriquecer seu texto.

Parte de compreensão oral (listening): Essa é a parte que você vai bem se tem o costume de assistir seriados e filmes em inglês. A dica aqui é conseguir anotar rapidinho num papel partes importantes dos diálogos pra conseguir lembrar depois, já que as vezes você até entende tudo, mas o diálogo é tão longo que você esquece certas partes. A parte boa é que os atores dos textos falam bem pausadamente, de forma bem clara.

Parte falada (speaking): A dica aqui é ficar calmo e falar naturalmente. A questão é que você tem algo 30 a 45 segundos pra responder cada pergunta, então além de organizar bem os seus pensamentos e sua resposta, ela tem que caber nesse tempo. Se você falar menos, perde pontos e se falar mais, a gravação é cortada e o avaliador depois não escuta tudo o que você disse, fazendo você perder pontos obviamente. A dica aqui é treinar em casa mesmo, invente perguntas e respostas, leia perguntas e respostas mais comuns na Internet, etc. A dica aqui é a prática mesmo, pra poder evitar os hummmm e gaguejos. Outra coisa é não se preocupe com seu sotaque (accent), ter sotaque não vai prejudicar a sua nota contanto que seu inglês seja claro.

O TOEIC eu não cheguei a fazer, mas é basicamente a mesma idéia do TOEFL. A diferença é a temática dos textos e perguntas. Enquanto no TOEFL eles são todas baseadas em temas do mundo acadêmico, como dois estudantes universitários conversando, o TOEIC é focado no mundo dos negócios (business). Escolha de acordo com seus interesses, se você pretende usar o resultado para se inscrever em algum curso de graduação ou pós-graduação, escolha TOEFL, senão TOEIC.

Ambos os testes são um pouco caros, custam entre 140 e 170 dólares. mas como eu disse, são um atestado de proficiência no seu currículo.

Uma história de catapora

Esses dias vendo TV fiquei sabendo que tá rolando um surto de Catapora em São Paulo.

Isso me lembrou do como eu peguei essa temida doença, época que não tinha essas facilidades chamada vacina. Quer dizer, talvez até tivesse, mas não a preços acessíveis ou de graça. Eu tinha algo como 9 ou 10 anos e fui passar as férias em Cruz Alta, cidade do interior do Rio Grande do Sul no qual moravam minhas tias e primas.

O problema é que uma delas estava com Catapora.

Como todos sabem, a catapora é uma doença altamente contagiosa, e por causa disso, minha família inteira deixou bem claro: não compartilhem copos, talheres, garfos, nada, absolutamente NADA.

O problema é que eu era uma criança meio tapadinha e não dei muito bola. Aí a minha prima tava comendo uma gelatina saborosa e eu, bem esquecida, peguei uma única colherada.

Vejam bem galera, uma única colheradinha, nada mais. Foi o que bastou pra eu pegar Catapora.

Só que não foi só eu a tapadinha. Essa mesma prima tinha servido um copo de Coca Cola, mas não tomou tudo, e deixou o copo pela metade na geladeira. Meu irmão viu e adivinhem, bebeu. Preciso dizer o resultado de novo?

E depois minha outra prima também pegou catapora, não lembro bem como. Os únicos que nao pegaram foram os adultos da família, felizmente, porque parece que essa doença embora não seja muito preocupante em crianças, é perigosa para adultos.

E foi assim que a catapora se espalhou como fogo em palha seca e eu vi que certas doenças podem ser REALMENTE contagiosas.

Bom, só uma doença contagiosa assim poderia contaminar não apenas toda a vila do Chaves, como até a calça.

Só o Chaves que não, mas isso não vem ao caso.

O fato é que a catapora é daquelas doenças que parecem divertidas olhando nos desenhos animados e no Chaves, as pessoas cheia de manchinhas e tal, mas na vida real não é tão legal, não só por causa da febre mas especialmente a parte da coceira … ai a coceira, enloquecida, por todo o corpo, todo o tempo, toda a hora. Lembro que eu tinha que tomar uns banhos de um negócio vermelho eu acho, era a única maneira pra passar um pouco aquela coceira louca e irritante.

O lado bom de ter pegado catapora é que pelo menos fiquei imunizada (Poliana way of life) e posso ir até pra São Paulo no meio da crise de Catapora que não pego as manchinhas.

Momento cultural: Sabe como é catapora em inglês? Chicken Pox. Nome bisonho né?

E você? Já pegou Catapora, Sarampo, Caxumba ou Rubéola?